quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Presidente da organização maçonica B'nai B'rith presenteando Bento XVI

B’nai B’rith International President Moishe Smith presenting a custom piece by Mordechai to Pope Benedict.

Essa é mais uma prova, de que os Papas não são infalíveis em algumas situações.

Viu só, carismáticos, neo-conservadores e sede-vacantistas?

"1839. Por isso Nós, apegando-nos à Tradição recebida desde o início da fé cristã, para a glória de Deus, nosso Salvador, para exaltação da religião católica, e para a salvação dos povos cristãos, com a aprovação do Sagrado Concílio, ensinamos e definimos como dogma divinamente revelado que o Romano Pontífice, quando fala ex cathedra, isto é, quando, no desempenho do ministério de pastor e doutor de todos os cristãos, define com sua suprema autoridade apostólica alguma doutrina referente à fé e à moral para toda a Igreja, em virtude da assistência divina prometida a ele na pessoa de São Pedro, goza daquela infalibilidade com a qual Cristo quis munir a sua Igreja quando define alguma doutrina sobre a fé e a moral; e que, portanto, tais declarações do Romano Pontífice são por si mesmas, e não apenas em virtude do consenso da Igreja, irreformáveis."

Fonte: Concílio Vaticano I - Cap. IV – O Magistério infalível do Romano Pontífice

Papa João XXI e Paulo VI erraram com a "reforma" da Igreja com o Concílio Vaticano II - eles não falaram ex-cathedra.

"Reformaram" a doutrina da Igreja, que era irreformável.

Papa João Paulo II errou com o falso ecumenismo criado pelo CVII e promovido por ele.

Rezemos por Bento XVI.

2 comentários:

WELIO disse...

Como Católico Apostólicos Romano, e tradicionalista para ser redundante, acredito na infabilidade papal dentro das notas estabelicidas no concílio Vaticano I. Claro que o papa não é infalivel quando recebe um presente, quando dá uma entrevista, pronunciamentos... Entretanto, temos que ter cuidado com juizos temerários, especialmente quanto a pessoa do Papa que digna de respeito e reverência, quando nos temos apenas uma foto e julgamos de acordo com ela, sem levar em conta todo o contexto em que aquela foto foi feita.

stefan disse...

ESSE COMENTÁRIO NADA TEM A VER COM A PESSOA DO S PADRE BENTO XVI, NA FOTO

CATÓLICO AGREGANDO-SE À "SINAGOGA DE SATANÁS"?


A maçonaria pertence às sociedades secretas de origens antiquíssimas, dos tempos do Egito, Babilônia e da cabalística judaica, particularmente de judeus, de idéias também ocultista, materialista e atéia, portanto arquiinimiga da Igreja. A constituição atual data de 1723, promulgada pelo protestante presbiteriano James Anderson; pretendia derrubar nos tempos da Revolução Francesa a monarquia e a Igreja, instaurando um reino que possui semelhanças com a Nova Era-NWO, em que o homem se ilumina e transcende-se, possuindo condenação formal do S Padre Clemente XII já em 1738, sequencial e unanimente, inclusive pelo S Padre Bento XVI, ratificada em 17/02/81 pela CDF, impondo sobre os católicos exclusão automática da Igreja sob qualquer associação ou participação em suas assembléias e cultos - cânon n° 2335 - por haver incompatibilidades doutrinárias constrastantes.

A maçonaria insinua um exacerbado panteísmo, outrossim, um deísmo subjetivista. Trata-se de uma doutrina relativista, ultra racionalista, admitindo apenas proposições admitidas pelo empirismo científico e historiadores apresentam ainda liames com o protestantismo, socialismo-comunismo e Nova Era-NWO - paradoxo com a fé católica transcendente que crê em nova vida, ressurreição da carne, futuro novo aos que morrerem em Cristo, para a eternidade.
Inadmite a Verdade Única, Deus, mas um outro - Grande Arquiteto do Universo - G.A.D.U., de modo vago, subjetivo, e há desacertos quanto à cosmologia: a visão do mundo deles não é unitária, idem relativista e subjetivista.
Nesses casos, sua doutrina diverge com a Igreja idem por admissão de crenças secretas aproximadas à Nova Era-NWO - supermercado de religiões ocultistas à escolha do cliente - assim como se incluindo algo na diversidade espiritista, umbandista, candomblecista, mediúnica e em suas extensas ramificações esoteristas.

Há, por outro lado, correlação com uma gama de seitas e religiões orientais holísticas de meditações transcendentais como a Yoga, Seicho-no-ie etc., em que se configuram panteísmo e deísmo subjetivistas exacerbados que, por meio de práticas meditacionais transcendentais apropriadas, as pessoas auto realizam-se plenamente, incompatibilizando-as idem.

Convém notar que as práticas religiosas dessas denominações admitem que o homem se auto liberta, embora se pautem em itinerários, cultos e doutrinas com suas peculiaridades, desembocam todas ao final num mesmo local: nas extensas ramificações esotéricas em suas diversidades, constituindo-as por isso vinculadas ao satanismo.

Quem se agrega a essa denominação formalmente definida pela Igreja como "Sinagoga de Satanás", é apenas maçon que se diz católico, o qual por aderir sob qualquer pretexto apostasia-se, é excluído da Igreja, configurando antecipadamente sua associação para a eternidade ao corpo místico de Satanás.