quinta-feira, 15 de julho de 2010

“TRADICIONALISTA!”

NOTA: Para quem não conhece o autor do texto abaixo, trata-se de Dom Fernando Arêas Rifan, bispo da Administração Apostólica São João Maria Vianney. O escrito é representativo da antiga “face” do prelado, isto é: de quando era apenas um padre “excomungado” por Roma e pregava, na região norte fluminense, à sombra do leão da fé Dom Antônio de Castro Mayer, nos passos de Dom Marcel Lefebvre, os ensinamento milenares da Igreja. Outra é a face atual de Dom Rifan. Recebendo báculo e deixando a Santa Fé, hoje, contrariando o verdadeiro Magistério da Igreja, apóia tudo o que antes condenara: o Novus Ordo Missae, o ecumenismo, a liberdade religiosa, a colegialidade, dentre outros erros propalados por Vaticano II. Deixamos o texto abaixo, como sinal de grande e oportuna confusão e temor, além de boa definição do que nós, católicos apostólicos romanos, queremos e esperamos seguir até a morte.



“Tradicionalista” é o católico apostólico romano, fiel à Tradição católica, isto é, à doutrina, à moral, à liturgia tradicional da Igreja de sempre.Este termo “tradicionalista” não significa retrógrado, antiquado, oposto ao progresso, radical, fundamentalista, avesso às sadias novidades, ou qualquer coisa parecida. Aliás, “Tradição” significa progresso, só que na mesma linha do passado. É um processo contínuo, ligado ao que o antecedeu, um enriquecimento, uma soma do passado com o presente que lhe é similar, enfim, um crescimento, como o de uma árvore ou de uma pessoa.


Esta palavra foi consagrada pelo Papa São Pio X, na sua carta encíclica “Notre charge apostolique”, quando disse: “Os verdadeiros amigos do povo não são os inovadores, mas os tradicionalistas”.


Como a Igreja Católica não é só de hoje, ou de 30 anos para cá, mas é de ontem, de hoje e de sempre, a conclusão lógica é que a Tradição é algo essencial à Igreja Católica. Tradicionalismo não é um partido ou um movimento dentro da Igreja: é o catolicismo como tal. E único. Ser católico fiel a Tradição, ou tradiconalista, não é um dos modos de ser católico; é o único modo de ser católico. Aliás, dizer católico tradicionalista vem a ser até um pleonasmo, uma repetição que nem se precisa dizer, mas que hoje se faz necessária já que muitos hoje se dizem católicos mas rejeitam a Tradição multissecular e perene da Santa Igreja, e por isso já não são mais verdadeiros católicos de fato.


Mas há vários modos de ser ou se tornar católico tradicionalista:


Tradicionalista por saudosismo: saudade do passado.

Tradicionalista por sentimento: “eu me sinto melhor assim!”

Tradicionalista por tradição: avós, pais, família…

Tradicionalista por simpatia: “eu me simpatizo com a Tradição e tenho amigos lá…”

Tradicionalista por imposição: pais, família, namorada, emprego…

Tradicionalista por obediência: pais, patrões, superiores…

Tradicionalista por companheirismo: amigos…

Tradicionalista por proximidade: “a igreja fica perto de minha casa…”

Tradicionalista por política: para angariar votos…

Tradicionalista por escândalo: escandalizado pelas loucuras que viu no progressismo…

Tradicionalista por interesse: conseguir emprego, namorada, etc.

TRADICIONALISTA POR CONVICÇÃO: por causa da doutrina e, em conseqüência, da liturgia tradicional, do respeito e da seriedade que a acompanham.


É claro que, mesmo que se tenha vindo para Tradição por qualquer um dos modos acima, o único modo verdadeiro e digno deste nome é o último. Só por convicção pela doutrina é que você será um verdadeiro tradicionalista, isto é, um verdadeiro católico apostólico romano, da Igreja de sempre de Nosso Senhor.



(Padre Fernando Arêas Rifan – Ontem Hoje Sempre; Campos, abril-maio de 1999, nº 52), artigo extraido do site Tradição Católica em Vitória ES.

2 comentários:

'alê w. disse...

O que é tradição ? O que é missa de Sempre?
Caríssimos, está na hora de pararmos de brincar de ser Igreja, sei que vocês irão excluir meu comentário tão logo o lerem, mas temos que assumir posturas de legítimos cristãos. Como ? Parando de julgar o Papa Paulo VI, aceitando que o Concílio Vaticano II foi Igreja sim, querendo vocês ou não. De que adianta colocar fotinhas do papa Bento XVI e não estar com ele ? E porquê Missa de Sempre ? Por acaso Nosso Senhor celebrou a Santa Ceia de costas pros apóstolos ? ( Antes de me crucificarem, sei que o nome dessa posição é Versus Deum, apenas quis ilustrar) Por acaso a santa Ceia foi em Latim ? Como a narrativa da Consagração foi posta na Sagrada Escritura, se de acordo com vocês, foi feita em Vox Secreta ?
Por favor, queiram tomar vergonha nessa cara e aprendam que a Igreja não é como vocês querem, vocês não são o Espírito Santo para dizer o que está certo e o que está errado, A Igreja é de Cristo! A Liturgia é de Cristo! e se as santas Missas estão sendo profanadas, é porque vocês, católicos de merda, não colocam seu joelho no chão para pedir pela Barca de Pedro. Vocês não tem caridade, e por consequência, lhes falta os espírito de obediência !!
Estão perdendo muito tempo julgando a conduta do santo Padre Paulo VI. Estão ocupados demais desfiando seus rosários, pedindo pela volta da FORMA EXTRAORDINÁRIA (sim, é isso que ela é hoje, lamento informar.) do que pela conversão dos maus pastores.
São Pio V, grande e santo homem, deve ter vergonha de vocês hoje na eternidade.
Obediência ao Magistério, Obediência ao Papa. ISSO É TRADIÇÃO !!!
Julgam a tudo e todos, mas não são capazes de olhar pro próprio erro. Sinto lhes informar, mas Casula Romana e rendinhas, dedos juntos e Lefebvre ( O CISMÁTICO !!) não vão levar vocês para o céu. Liturgia digna, sim. Desobediência não.

helena fernandes disse...

N precisa de usar palavras ofensivas, mas tem uma certa razão n que diz...