sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Pela Liberdade da Igreja

Um bom artigo do blog O Pasquim da Reacção

“Rezai por mim, para que eu não fuja, por receio, diante dos lobos.”
Há por aí uma gente que quer que o Papa policie as mentes não em nome da Fé, mas em nome dos dogmas secularistas que por aí pululam. Acusam a Cristandade de sancionar as mentes, mas ao invés de proclamarem a liberdade de consciência, erguem novos dogmas de utilidade política. Nunca vi o Papa reclamar que se reconheça que um crime contra os Cristãos seja matéria doutrinária para outras religiões, ou obrigar quem quer que seja a acreditar na existência terrena e a morte de Jesus como facto histórico. A negação de que houve muitos crimes contra os Cristãos ou de que Jesus existiu e foi morto é uma visão amputada da História, mas não constitui um crime contra quem quer que seja, não merecendo sanção, mas educação e piedade. Acresce a isto que a generalidade dos defensores da Liberdade aceitam de bom grado a existência desses crimes mentais, não se ouvindo uma palavra de piedade pelos massacres de Cristãos que se dão por todo o Próximo e Médio Oriente HOJE, ou pelo tratamento dado aos católicos por todo o Israel. Como se pode compreender que exista tanta preocupação com o negacionismo no seio da Igreja (quantos haverá na Igreja, 1, 10, 100, 1000?), abaixo-assinados em França e na Alemanha contra o Bispo Williamson, e não exista uma preocupação com os milhares e milhares de católicos que apoiam associações e partidos abortistas. Como pode não existir uma petição pela excomunhão de católicos que se opõem à Doutrina da Igreja e haver um barulho ensurdecedor para que se castigue um bispo que nada disse contra a Fé? Assim se vêem as preocupações e a Norma dos nossos católicos, sempre prontos a rastejar perante os senhores do mundo. Escolhem o seu lado...
obs:cores e negritos são meus.

Nenhum comentário: