terça-feira, 2 de setembro de 2008

Onde estavam as autoridades que deixaram isso acontecer (não são diferenças acidentais)?

A concepção que o altar deveria ter forma de uma mesa e o sacerdote junto a ele estar voltado para o povo, tem sua origem na reforma protestante do sec XVI que não tendo mais sacerdócio hieráquico, reduziu a Santa Missa a uma ceia comemorativa, negando que nela (quando celebrada por um sacerdote validademente ordenado) se perpetua o sacrificio de Jesus na Cruz, cujo fruto o Corpo Sagrado do Senhor recebemos na Comunhão. (livro: Santa Missa Mistério da Nossa Fé).
..............................................
"Separar o Tabernáculo do Altar é equivalente a separar duas coisas, as quais, por sua verdadeira natureza, devem permanecer juntas". (PIUS XII, Alocução do Congresso Litúrgico Internacional- Assis-Roma, setembro 18-23,1956).cf. Mediator Dei, 1.5. nota 28.
............................................................
São Pio V concebeu o Missal Romano( como a presente Constituição relembra), de forma que ele pudesse ser um instrumento de unidade entre os católicos. Conforme as injunções do Concílio de Trento isto se deu para excluir do culto litúrgico, todo o perigo de erros contra a Fé, que naquele tempo estava ameaçada pela Reforma Protestante. A gravidade da situação era plenamente justificada e até mesmo fez com que se tornasse profética , a solene advertência dada pelo Santo Pontífice no final da Bula de promulgação desse Missal: "Deveriam todos presumir que ao mexer nesse Missal, incorrerão na Ira do Deus Altíssimo e dos seus Bem-Aventurados Apóstolos, Pedro e Paulo"(Quo Primum, Julho 13,1570), trecho da
carta do Cardeal Ottaviani a Sua Santidade Papa Paulo VI



2 comentários:

ALEX disse...

SALVE MARIA!
ISTO FOI UM PRODUTO DOS MODERNISTAS
QUE DIMINUIRAM OS SINAIS DÁ FÉ

ALEX

Theophilus disse...

Eu li há algum tempo uma postagem em blog de um católico inglês onde ele pegava os dados estatísticos do desastre nas vocações, número de divórcios etc nos Estados Unidos desde antes do Vaticano II até umas décadas depois. Colocou então os números num eixo x-y e aproximou uma curva. Vocês sabem que curvas surgiram? Logaritmos naturais. Estes têm tal nome pois descrevem melhor certos fenômenos da natureza. Conclusão? A crise da Igreja é um fenômeno natural! Isso não quer dizer que a vontade do homem não opera aqui, ou que tudo ocorreu de modo automático (pois seria outro o padrão) mas que há uma "força" por detrás da crise que a direciona e é natural - refletindo uma vontade sobrenatural, a de Deus.