segunda-feira, 18 de agosto de 2008

O REI DAS CONTRADIÇÕES


A Dubiedade da Canção Nova

Conheço as tuas obras: não és nem frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente!
Mas, como és morno, nem frio nem quente,
vou vomitar-te. (Ap, 3. 15-16)
Um pouco mais sobre este sacerdote
Para entender as atitudes desse sacerdote devemos olhar um pouco sua história: segundo palavras dele em uma de suas pregações na Canção Nova, e isso também ser confirmado, em parte, pelo site da toca, ele se “converteu” em um encontro de jovens da RCC, em 1983. E durante o período em que estava no seminário escutava o Pe. Jonas Abib na rádio.
Acredito que essas duas passagens possam nos ajudar a compreender muitas das atitudes contraditórias do Padre Roberto Lettieri.Ao mesmo tempo em que ele denuncia muito dos abusos que ocorrem na Canção Nova, ele continua lá, rezando Missas ao som de bateria, guitarras, chocalhos usados em rituais de pajelança, sendo conivente com a utilizando de cantos populares para o conjunto Kyriale e etc...
Sei que os Bispos permitem tudo isso (lastimavelmente, permitem e até incentivam), mas não podemos dizer que seja coerente, a utilização na Santa Missa de instrumentos que tem suas origens envolvidas com o satanismo, ou com rituais indígenas. Do mesmo modo que não é coerente tendo se condições de se proporcionar aos fieis celebrações com o Kyriale em gregoriano ou polifônico, valer-se de canto popular. Em um raciocínio humilde, isso é no mínimo uma afronta ao Cristo; trazer a sua presença e utilizar para, supostamente, louvá-lo os mesmos instrumentos usados - ainda que por outros - para profaná-lo. O Cristo que, lembremos, está renovando seu sacrifício por nós no altar.
Cito especificamente a questão da música primeiramente por que é o mais visível a todos, e segundo por que vi a aprovação do Padre Roberto Lettieri à utilização desse tipo de música no Rito da Missa. Aprovação essa, demonstrada por um beijo em uma das cantoras da Canção Nova durante uma de suas homilias sobre música na Igreja Católica, na qual ele dizia que a beijando esperava estar demonstrando seu amor por esse estilo musical (a “la RCC” com direito, no dia, a tudo que citei anteriormente).
Obs: Isso sem falar no famoso blá, blá, blá, e repouso de sei lá o que, que do Espirito Santo que não é? Pois Deus não seria contraditório em inserir doutrinas protestantes na Santa Missa.
Em fim, o que quero dizer é: O Padre Roberto Lettieri , quando olhamos para o seu processo de conversão e posterior formação para o sacerdócio, extremamente atrelados a RCC, fica mais claro os conflitos que devem afligir o sacerdote.
Tentando esmiuçar um pouco mais essa questão:
Tentando esmiuçar um pouco mais essa questão:
1° Muitas das idéias que ele defende não vêm da formação do seminário, mas de um esforço e interesse pessoal. Digo isso porque, todos sabem a situação a situação precária em que os seminários no Brasil (e quem dera fossem só os daqui) mergulharam após o CV II. Muita confusão doutrinal, falso ecumenismo, forte influencia da Teologia da Libertação...; em fim os formadores não sabem mais, diante de tantas mudanças trazidas pelo concilio, como formar novos padres abandonou-se as praticas de piedade, o ensino de música clássica e gregoriana e até mesmo a leitura da vida dos santos esta esquecida. Afinal, com os seminaristas devem ler hoje, por exemplo, Santo Afonso de Ligório, dentro dessa praticamente, nova eclesiologia (na qual a regra é exceção, e o que deveria ser exceção tornou-se regra) que surge com o concílio.
2° Tendo sua conversão ocorrida dentro da RCC, como ele mesmo afirma, é natural que veja méritos nos métodos usados pela renovação para atrair “fieis”, deve ser difícil para ele livrar-se de pontos “errados” que para ele acabaram tornando-se naturais e assumindo uma roupagem de “positivos apesar de tudo”. Tradição, como o próprio nome diz, é o ato de transmitir o que se sabe de geração em geração. Quando interrompemos a tradição, resgatá-la torna-se muito difícil. Não devemos compactuar com estes erros, mas sim denuncia-lós para que este sacerdote e todos aqueles que compactuarem com estes erros possam se esclarecidos.
Quem ama Nosso Senhor Jesus Cristo obedece a Igreja, que legisla com o “poder de Cristo”, e quem não a obedece, não obedece a Cristo, e em conseqüência, ao Pai.
O Pe. Roberto Lettieri, não obedecendo as nas normas litúrgicas, estabelecida pela Igreja, da a entender que não amar a Cristo e nem a Igreja inserindo objetos estranhos (do gosto pessoal, ou da à lá R.C.C) na liturgia.
QUEM AMA OBEDECE, QUEM NÃO AMA FINGE QUE OBEDECE
Texto de Bruno Dammski, adaptado por Lázaro Laert

6 comentários:

Rockmarciano disse...

acho que voces deveriam utilazar o blog para falar o bem, e nao para apenas criticar que é o que eu vejo, se ele usa algo ele esta usando para o bem pode ter certeza... ou voce tem 10 anos de estudo no seminario igual a ele pra criticar os metodos? use este blog para o bem pra falar de boas açoes e nao para falar mal sem mais

Lina disse...

Muitos santos foram incompreendidos em sua época, até mesmo pela Igreja. Jesus foi incompreendido e crucificado, por q muitos achavam q Ele era um escandalo, pq curava aos sabados, entrava na casa dos piores...MAS COM O AMOR ELE TUDO EXPLICOU! Vejo q suas palavras são de OBEDIÊNCIA a regras, mas se tivesse o AMOR q Cristo tanto ensinou elas não teriam esse TOM de condenação!!! Que o Amor de Cristo te penetre profundamente!!!

Lázaro disse...

Santos?

Os Santos, nunca agiram como protestantes pentecostais.

SI disse...

Que o Senhor tenha misericórdia de cada palavra desse comentário absurdo e que você Lazáro seja menos egoista e "condenador", para falar tudo que falou no mínimo nunca viveu e se continuar assim, não viverá a verdadeira experiência com Deus, o que você é, porque esse blog sim é uma verdadeira confusão, me desculpe, mas é ridiculo o seu comentário e que Deus te abençoe e peça a Ele que te direcione.

Leonardo S. de Oliveira. disse...

Só na cabeçinha romântica e sentimental desses modernistas liberais que um santo (a) da Santa Igreja Católica Apostólica Romana agiria feito um herege protestante.

Papa Pio X que estava certo hoje os piores inimigos se encontra dentro da Santa Igreja Católica.

A defesa dos hereges modernistas feita por esses católicos tíbios liberais e modernistas me faz ter mais vontade ainda de bater de frente com esses lobos modernistas que estão na Santa Imaculada Igreja Católica.

In Corde Jesu, semper.

Juliana Camargo disse...

Olá.

Gostaria que publicassem uma denuncia contra o diretor da Rádio Canção Nova de Brasilia Sr. Ronaldo Silva, o mesmo é socio de várias empresas, entre elas, ele é socio de igrejas evangelicas como pode ser visto no site: http://www.consultasocio.com/q/sa/ronaldo-goncalves-da-silva