segunda-feira, 12 de maio de 2008

Dança diabólica da canção "nova" está se propagando.


Os reboladores costumam justificar está atitude de fica dançando diante do Santíssimo Sacramento com o salmo de Davi 47[46].
Davi dançou diante da Arca da Aliança, que era trazida pelas ruas de Jerusalém, Arca que não continha a Deus realmente presente.

Nem no Antigo Testamento se dançava diante da Arca, dentro do Templo, nem se dançava, quando se sacrificavam carneiros, touros e bodes.

No sacrifício da Santa Missa, onde Deus está realmente presente em Corpo Sangue, Alma e Divindade, não tem comparação com o que Davi fez, no Antigo Testamento, nas ruas, e diante Arca da Aliança, que não continha Deus realmente presente como nós o temos na hóstia consagrada, na Missa.

Na Instituição da Eucaristia, nem Jesus, nem os Apóstolos dançaram.

Na defesa das profanações que se fazem, hoje, diante do Santíssimo Sacramento, recorrendo ao exemplo de Davi, é completamente estúpida.

................................................................................................

A Palavra do Prior:
A Música Sacra dentro da tradição

Fonte: Jornal Ceciliano, Ano: IV Edição: Mensal N°: LV Mês: Maio de 2008. http://www.ordemdesantacecilia.org/

Há poucos dias vi no site de video you tube tópicos de uma Missa Tridentina celebrada por conservadores. Foi chocante ouvir o som do Alelúia do oratório Messias de G.F. Händel na dita (?) celebração.

Há conservadores que entendem muito bem de ritos e de ortodoxia, mas muito pouco e quase nada de arte da celebração dessa Missa. Criada em pleno Concilio de Trento a Missa tem música própria que foi aprovada no mesmo Concilio de Trento, ao lado do Canto Gregoriano a chamada música polifônica Palestriniana, um estilo aperfeiçoado pelo grande Palestrina que na ocasião apresentou aos Padres Conciliares sua famosa “Missa do Papa Marcelo” com grandes aplausos da aula Conciliar.

O Alelúia de Händel, que todos apreciam muito pelo seu ar festivo e glorioso, não é catalogado como Música Sacra e sim música religiosa. Ele foi composto para o Oratório Messias e oratório, para não sabe, é uma ópera de caráter religioso, mas não é música feita para a Liturgia Romana, ademais de Händel não ser Católico.

O abuso na música apresentada nas igrejas hoje em dia também é outra calamidade. As tendências são só de mostrar músicos do estilo jovem em desrespeito às pessoas mais idosos que se fazem presentes ao ato e são forçadas e oprimidas ao escutar o que não gostariam e muitos jamais escutariam dentro de suas casas e devem ir na igreja para sofrerem tamanha judiação.Uns não voltam mais. Sabemos que a Missa é para todos e não para alguns grupos ou classes de pessoas. Só jovem é um ato de discriminação contra os idosos e adulação da juventude, como se isto evitasse eles serem sempre os mesmos na sua convivência extra- religião. Jovens não tem adulação que chegue em tempo, eles sempre pensam serem os maiores e os melhores.

A sacralidade da música deve elevar a mente e a alma a Deus. Nunca ela deve lembrar um momento profano. Ela não pode ser sensual, nem despertar sentimentos de baixeza dos sentidos, ela deve ser contemplativa, despertar no fiel que está presente dentro do templo os melhores sentimentos de elevação espiritual e fazer sentir uma como que saudades do céu. Ela deve mais comover (?) do que mover.

Uma música movimentada na qual levantam braços, gritam, balançam o corpo e gesticulam, além de ser uma atitude ridícula, é uma música profana e alienada de Deus. Diga-se mais que Deus não é surdo, portanto os gritos são apenas alucinações das pessoas e não clamores ao Senhor. Não é aliviar tensões de histeria. Gritar ao Espírito Santo é uma ignorância Teológica e pouco conhecimento da profundidade da vida espiritual. Música de movimentação corpórea não serve para as funções sagradas da Igreja Romana. O Espírito Santo quer se manifestar no silêncio ou apenas no sussurro e no murmúrio. Tal como as famosas danças diante do altar que não são louvores pré-cristãos nem alusões ao Profeta David, mas a repetição das cenas eróticas dos Palácios dos Faraós ou do mesmo de Herodes para quem foi dada a cabeça do (São) João Batista, mediante a encantadora dança de uma prostituta filha da amante do Rei. Quando vejo meninas dançar frente do altar penso logo: “daqui a pouco vem a cabeça de alguém” Infelizmente muitos Sacerdotes e leigos bem intencionados, porém mal orientados, pensam que levando uma música parecida com a música das seitas para suas Liturgias favorecerá a participação. Enganam-se! O Católico que está mais espiritualizado se afasta de lugares assim, não é isso que procura. As seitas são materialistas, querem o dinheiro dos pobres e materialista deve ser a música para favorecer a falácia das ilusões.

A tradição católica da Missa tem uma música apropriada e os mestres que elaboram e ensaiam essa música devem ser capacitados por Escolas Oficiais da Igreja Católica.

O Canto Gregoriano é, pois, a música oficial da Igreja de Roma e ao lado desta a polifonia ao estilo de Palestrina. Depois do Concilio Vaticano II foi permitido outros estilos de música, conquanto que se adaptem aos momentos do ritual. Muitos deles não são nada felizes por serem elaborados por pessoas sem a devida credencial Litúrgica e mística.

Outra besteira é pensar que a música na Igreja deva ser cantada para os textos serem entendidos. Que ironia!
Hoje que se espalharam as músicas inglesas e mesmo quem nada entende de inglês participa e fica alucinado igual. Dizer que não entende o latim é uma desculpa fajuta e “conversa para boi dormir” A música, mais que o texto, tem força especial para conduzir o espírito ao nível da contemplação e não precisa entender texto para desfrutar da beleza e da espiritualidade da boa Música Sacra. Ademais que sendo ela uma oração dirigida a Deus, a língua não interessa, Deus entende todas as línguas.

Mas o Alelúia de Händel até que pode ser cantado num final de função e com grande propriedade dar um brilho festivo, mas não é música sacra Litúrgica, fique isto bem claro e dito em alto e bom tom.


6 comentários:

Anônimo disse...

Em uma palavra a respeito da dança ? -REPUGNANTE!-

Que a Virgem Gloriosa nos livre desse espirito anti-cristão.

Ad Majorem Dei Gloriam
Rdrigo

DIEGO TALES disse...

Primeiro lugar a canção nova não toca música protestante.
Segundo lugar eu sou da Igreja Católica Apostólica Romana aquela que o Senhor disse que nem as portas do inferno prevaleceriam contra ela(Cf Mateus 16:18b).
Leiam mais a Sagrada Escritura, você são cabritos em meio as ovelhas.
Jesus Está Voltando :D

Lázaro disse...

Pergunte para os lideres do grupo de 'oração', pois eles responderá que a CN, toca musica protestante, caso não queira pergunta, faça a pesquisa por vc mesmo.

JUANJO CARRANZA disse...

O PESSOAL DA CANÇÃO NOVA ADORA O DINHEIRO BASTA OLHAR TODOS OS DA PANELA VISTEM ROUPAS IMPORTADAS DE GRIFFE Y VIVEM VIAJANDO PELO MUNDO INCLUSIVE UM TAL DE DUNGA SE GABAVA DE GOSTAR DOS BEATLES E FEZ UMA HOMENAGEM EM LIVERPOOL PARA SEUS IDOLOS TUDO PAGO PELOS INGENUOS QUE ACREDITAN NAS MENTIRAS DESTA SEITA TRAVESTIDA DE CATOLICOS

Catecismus disse...

ONDE POSSO ENCONTRAR ESSE VÍDEO?

Anônimo disse...

povo incrédulo..