sábado, 26 de abril de 2008

HERESIA MESSALIANA E HERESIA PENTECOSTAL: SENTINDO O ESPÍRITO SANTO

protestantes "pentecostal"




encontro da R.C.[C], na cidade de São Vicente. 25/04/2008



HERESIA MESSALIANA E PENTECOSTAIS: SENTINDO O ESPÍRITO SANTO

É quase unânime no imaginário patológico pentecostal que é possível sentir fisicamente a presença do Espírito Santo. Navegando na internet deparei-me com uma lista de discussão do Yahoo onde encontrei os sintomas reais dessa enfermidade herética. A lista pentecostal que encontrei propôs o seguinte tema de discussão: Como se consegue sentir a presença do Espírito Santo?

Um dos participantes escreveu: “Tenho muita vontade de viver essa experiência, mas, apesar de minhas diversas tentativas, nunca consegui.” E o outro que sofre da mesma doença pentecostal lhe respondeu: “ Insista, passei por isso via os outros cheios do Espírito, e nada acontecia, alguns irmãos oravam comigo e nada, meus amigos ungidos pareciam flutuar, fiquei esperando, depois de um tempo comecei a achar que havia algo errado comigo, é neste ponto que alguns desistem, não faça isso pois Deus tem um tempo determinado para tudo! Um dia estava na igreja orando, glorificando Jesus, comecei a sentir, como se meu coração se abrisse, minhas pernas ficaram bambas, tremia, Senti Deus, parecia que se eu esticasse minhas mãos poderia tocá-lo, o louvor que eu ministrava a Cristo, passou de algo automático e compreendi a palavra fluir, então comecei a falar palavras, que eu não entendo, mas que são mistérios que digo a Deus!” http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070914190203AAiipO7&show=7

Pelo trecho acima, podemos ver a gravidade da doença que afeta a coletividade pentecostal. Como sabemos, o protestantismo, por ser uma falsa religião, uma seita nefasta, abriga em seu seio muitas heresias que já no passado haviam sido condenadas e extirpadas do seio da verdadeira Igreja de Jesus Cristo, a Igreja Católica.

Outro dia, lendo um livro sobre a Espiritualidade no Oriente cristão, de Thomas Spidlik, deparei-me com a heresias dos messalianos. Os messalianos foram uma das heresias místicas ligadas ao monacato oriental. Movimento religioso nascido na mesopotâmia e espalhado na Síria e na Ásia Menor, depois de 350, foi condenado nomeadamente pelo Concílio de Éfeso (431). Os messalianos além de desprezar a hierarquia da Igreja e os sacramentos, julgavam possível sentir a presença da graça divina. Para esses hereges, a presença do Espírito Santo penetra e abrasa a alma fazendo-se sentir fisicamente e sendo acompanhada de manifestações extáticas, donde receberam o nome de entusiastas ou dançarinos. Os messalianos insistiam na necessidade de experimentar o sentimento de estar em estado de graça.

A reação da ortodoxia católica

A reação da ortodoxia (Diadoco de Fótice, e Marcos, o Eremita) foi clara:

“ A graça é depositada secretamente no fundo do espírito, desde mesmo o instante do batismo, ocultando sua presença ao sentimento.”

(Diadoco de Fótice, Cien Capítulos, 77, ed. Ciudad Nueva)

Bibliografia

SPIDLIK, Thomas. La espiritualidad del oriente cristiano. Monte carmelo.

E agora os protestantes adotaram a mesma heresia e a reintroduziram através da R.C[C] na Santa Igreja Católica.

Fonte:http://advhaereses.blogspot.com/2008/04/heresia-messaliana-e-heresia.html



quinta-feira, 17 de abril de 2008

Reflexões e ações de um Papa – um texto de ficção

Claudiomar Filho

Posso bem imaginar o que se passara pela cabeça do Papa naquela tarde-noite de um domingo qualquer. Procurava ele discernir um modo eficaz para dar um basta em toda a desfiguração pela qual se acometia a Igreja. Modernismo repugnante, meias-igrejas, falsos cristãos, fumaça infernal a sufocar-nos. Na face verdadeira, apenas uns poucos...Não mais que uma idéia. Audaz.Intrigante. Pô-la em prática, enfim.Assim se deu que o Papa agira, em reflexões e ações:“As multifaces da igreja já não formam uma só. Dar-lhes-ei o que acham que convém. Liberdade! liberdade para serem a igreja que querem!Aos da Teologia da Libertação, que possam impor seu maior pensamento ante a já ultrapassada Igreja que chegara até nós, de moldes medievais, caduca e ineficaz para o mundo de hoje. Podem optar pelos pobres, lutem por uma vida digna para eles aqui na terra, mas os perdoem se eles optarem por outra igreja. A partir de agora vão pelo caminho que escolheram e podem até mesmo levantar uma bandeira com um novo nome como queiram chamar esse novo jeito de ser igreja. Que tal Igreja Libertadora dos Pobres e Oprimidos. Escolham seu líder e sigam a ele como quiseram sempre.Aos Carismáticos, que possam exercer os dons que só estão presentes naqueles que louvam e dançam, profetizam e curam, ainda que entre estas tantas ações se achem algo que seja contrário ao que a Igreja sempre ensinou. Estão livres. Vão agora, sem censura nenhuma. Mas se algum protestante, por engano, inserir-se entre vós, alerte-o e encaminhe-o ao seu templo, e mostre bem a diferença, pois na igreja de vocês fala-se de Maria. Que tal afixar o letreiro: Igreja Renovada Carismática, assim menos deles se confundirão.Aos neo-catecúmenos, que montem sua própria liturgia e vivam tudo o que ela contém. Não lhes advertirei com mais nenhum documento regulador da liturgia. Enfim não precisa mais combater-nos. Não me importarei até se passerem a chamar-vos de Igreja NeoCatecumenal.E assim, sucessivamente.

E assim, sucessivamente. Igreja Focolarina, Igreja da Comunhão e da Libertação, Igrejas das Pastorais Necessárias e Opcionais, Igreja da Celebração da Palavra, Igreja da Distribuição do Pão do Banquete, Igreja dos Aplausos pra Cristo Crucificado, Igreja de Todos os Sons na Festa do Sacrifício, igrejas e mais igrejas, tantas quantas queiram e sejar um novo jeito de ser seguidor de um cristo diferente. Ide avante, pelo caminho que abrirem e na paz que desejam ter.E a vós, poucos homens, bravos guerreiros que mantiveram íntegra a Tradição apostólica, que arriscaram manter-se naquilo que aprenderam e ousaram não ousar. Não tenho outro nome a vocês e de certo vocês não têm outro líder a seguir, pois permaneceram na fé. Na fé do Cristo..., do mesmo Cristo do qual quero ser a voz aqui na terra. Continuarei a chamar-vos sensatamente de IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. E ficarei torcendo para que os outros retornem convertidos”.

Nota: O texto é fictício, mas deve conduzir a uma verdadeira reflexão. E, queira Deus, a muitas verdadeiras conversões.