terça-feira, 11 de março de 2008

A Igreja Católica Apostólica Romana é divina.


A Igreja de sempre - era Papal, monárquica, a Nova Igreja conciliar é Colegial. Enquanto a Igreja Católica Apostólica Romana é hierárquica, a Nova Igreja Conciliar é democrática, niveladora e igualitária. É laical. Enquanto a Igreja Católica Apostólica Romana veio do alto, dos Céus, fundada por Cristo, a Nova Igreja Conciliar vem das bases, do Povo, e por isso ela foi chamada de Igreja Povo de Deus.

A Igreja Católica Apostólica Romana é divina.
A Nova Igreja Conciliar é humana. É popular.

A Igreja Católica Apostólica Romana é fundamentada na autoridade Papal.
A Nova Igreja Conciliar é de serviço.

A Igreja Católica Apostólica Romana é teocêntrica.
A Nova Igreja Conciliar é antropocêntrica.

A Igreja Católica Apostólica Romana busca a glória de Deus, a santificação e a salvação das almas.
A Nova Igreja Conciliar busca servir o Homem, servir a Humanidade. Trata de comida, reforma agrária, de favela, metrô, de eleições, de carnaval, Cristoteca e de rede de esgoto.

A Igreja Católica Apostólica Romana é imutável, dogmática e pregadora da Verdade imutável, por isso, ela é missionária.
A Nova Igreja Conciliar é ecumênica e anti-dogmática, precisando sempre de ser “aggiornata", em contínua evolução.

A Igreja Católica Apostólica Romana excomunga as heresias e os hereges.
A Nova Igreja Conciliar aplaude toda heresia e dialoga com todos os hereges, perseguindo os que são fiéis à doutrina de sempre.

A Igreja Católica Apostólica Romana é imutável em sua doutrina e em sua lei moral.
A Nova Igreja Conciliar é evolucionista na doutrina e relativista na moral.

A Igreja Católica Apostólica Romana exige que se pratiquem os mandamentos e que se viva na virtude e na caridade.
A Nova Igreja Conciliar é laxista na moral, tudo permitindo, e quer ser apenas filantrópica, proclamando-se a Igreja do Amor, entendido como fazer apenas o bem material.

A Igreja Católica Apostólica Romana tem uma liturgia divina imutável em sua essência, que renova o Sacrifício do Calvário.
A Nova Igreja Conciliar fabricou uma liturgia sacrílega que se tornou um show, por vezes clownesco, no qual ela comemora a salvação universal.

A Igreja Católica Apostólica Romana tem seu coração no Santíssimo Sacramento, onde Jesus Cristo, Deus e Homem, está realmente presente com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.
A Nova Igreja Conciliar declara pela boca de certos teólogos que “é preciso tirar o Faraó que está no sacrário” (Padre Maurice Zundel), ou “esquecer o Deus de Belém” (Padre José Bedin), ou se declara “atéia daquele Velho barbudo que mora lá em cima” (Ex Frei Boff).

A Igreja Católica Apostólica Romana eleva a Deus o canto gregoriano.
A Nova Igreja Conciliar uiva, urra, desafina e rebola, em ritmos selvagens.

A Igreja Católica Apostólica Romana tem por sinal a Cruz de Cristo, reza, jejua, é ascética e penitente.
A Nova Igreja Conciliar é contra o celibato, promove “cristotecas” vai à praia e toma cerveja em bares e boates.


É entre essas duas Igrejas que os católicos, hoje, devem fazer a sua escolha: ou continuar fiéis à Igreja Católica Apostólica Romana fundada por Cristo sobre Pedro, aceitando o Papa, os dogmas e a lei imutável de Deus, ou a Nova Igreja Conciliar fabricada no Concílio Vaticano II, aquela que tem língua dupla.

F: Montfort

2 comentários:

anderson disse...

Deus sempri foi fiel e triste ver muitas pessoas nos camilhos errados,como sempri Deus nosn resgata e nos faz novas criaturas so quero agradecar au nosso Grandioso Deus amem.

anderson disse...

so quero agradecer a Deus pela vida pela minha familia pelas minhas dificudades que estou passa ndo ,fico feliz por DEUS nao mi abandonar