quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

A R.C."C" É MÁ PORQUE VEM DO PROTESTANTISMO



Disse-nos Jesus Cristo, Verdade divina e infalível:
"Assim toda árvore boa dá bons frutos, e toda árvore má dá maus frutos Não pode uma árvore boa dar maus frutos, nem a árvore má dar bons frutos" (Mt. VII, 17-18).



Nosso Senhor disse que a árvore má não pode dar bom fruto.


O protestantismo é árvore má, porque é heresia condenada pela Igreja no Concílio infalível de Trento.


Logo, o Pentecostalismo é mau fruto dessa árvore má.


Como podem, então, os católicos pretenderem colher bom fruto da árvore protestante?
Como podem os católicos bem se alimentar de um fruto venenoso de uma árvore má?


A RCC é fruto de uma árvore má.


Logo, a RCC é má, e está errada.


Por isso, os católicos que comem do fruto pentecostal carismático protestante estão sendo envenenados de protestantismo.

Um pouco de História das raizes da R.C."C".


Pentecostalismo é como se chama a doutrina de determinados grupos religiosos cristãos, originários no seio do protestantismo, que se baseia na crença do poder do Espírito Santo na vida do crente após o Batismo do Espírito Santo, através dos dons do Espírito Santo, começando com o dom de línguas (glossolalia).


Origem


Tradicionalmente reconhece-se o início do movimento pentecostal no ano de 1906, em Los Angeles, nos Estados Unidos, na Rua Azuza, onde houve um grande avivamento caracterizado principalmente pelo "batismo com o Espírito Santo", evidenciado pelos dons do Espírito (glossolalia, curas milagrosas, profecias, interpretação de línguas e discernimento de espíritos, dentre outros).

No entanto, o batismo com dons do Espírito Santo não era totalmente novo no cenário protestante. Existem inúmeros relatos de pessoas que clamam ter manisfestado dons do Espírito em muitos lugares, desde Martin Lutero(apesar de controversos quanto a veracidade) no século XVI até de alguns protestantes da Rússia, no século XIX.

Devido à projeção que ganhou na mídia, o avivamento na Rua Azuza rapidamente cresceu e, subitamente, pessoas de todos os lugares do mundo estavam indo conhecer o movimento. No começo, as reuniões na Rua Azuza aconteciam informalmente, eram apenas alguns fiéis que se reuniam em um velho galpão para orar e compartilhar suas experiências, liderados por William Seymour (1870-1922).

Rapidamente, grupos semelhantes foram formados em muitos lugares dos EUA, mas com o rápido crescimento do movimento o nível de organização também cresceu até o grupo se denominar Missão da Fé Apostólica da Rua Azuza. Alguns fiés não concordaram com a denominação do grupo.

Surgiram grupos independentes que emergiram em denominações. Também algumas denominações já estabelecidas adotaram doutrinas e práticas pentecostais, como é o caso da Igreja de Deus em Cristo.

Mais tarde, alguns grupos ligados ao movimento pentecostal começaram a crer no unicismo em vez da triunidade (trindade). Com o crescimento da rivalidade entre os que criam no unicismo e os que criam na trindade, ocorre um cisma e novas denominações nasceriam como a Igreja Pentecostal Unida (unicista) e as Assembléias de Deus (trinitária).


Pentecostalismo Brasileiro


No Brasil, o Pentecostalismo chegou em 1910-1911, com a vinda de missionários originários da América do Norte: Louis Francescon, que dedicou seu trabalho entre as colônias italianas no Sul e Sudeste do Brasil, originando a Congregação Cristã no Brasil; Daniel Berg e Gunnar Vingren, que inciaram suas missões na Amazônia e Nordeste, dando origem às Assembléias de Deus.

O movimento pentecostal pode ser dividido em três ondas. A primeira, chamada pentecostalismo clássico, abrangeu o período de 1910 a 1950 e iniciou-se com sua implantação no país, decorrente da fundação da Congregação Cristã no Brasil e da Assembléia de Deus até sua difusão pelo território nacional. Desde o início, ambas as igrejas caracterizam-se pelo anticatolicismo, pela ênfase na crença no batismo no Espírito Santo e por um ascetismo que rejeita os valores do mundo e defende a plenitude da vida moral.

Em 1932, em Mossoró-RN, iniciou-se a Igreja de Cristo no Brasil sendo a primeira denominação evangélica nordestina e com ênfase na doutrina da perseverança dos salvos.

A segunda onda começou a surgir na década de 1950, quando chegaram a São Paulo dois missionários norte-americanos da International Church of The Foursquare Gospel. Na capital paulista, eles criaram a Cruzada Nacional de Evangelização e, centrados na cura divina, iniciaram a evangelização das massas, principalmente pelo rádio, contribuindo bastante para a expansão do pentecostalismo no Brasil. Em seguida, fundaram a Igreja do Evangelho Quadrangular. No seu rastro, surgiram Igreja Pentecostal Unida do Brasil, O Brasil para Cristo, Igreja Pentecostal Deus é Amor, Casa da Bênção, Igreja Unida(São Paulo, 1963), Igreja de Nova Vida e diversas outras igrejas pentecostais menores.

A terceira onda, a neopentecostal, teve início na segunda metade dos anos 70. Fundadas por brasileiros, a Igreja Universal do Reino de Deus (Rio de Janeiro - liderada pelo bispo Edir Macedo -, 1977), a Igreja Internacional da Graça de Deus Rio de Janeiro- liderada e fundada pelo missionário R. R. Soares que está presente na televisão brasileira com o Show da Fé, , 1978 a Renascer em Cristo (São Paulo, 1986) e a Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra (Brasília, 1992) estão entre as principais. Utilizam intensamente a mídia eletrônica e aplicam técnicas de administração empresarial, com uso de marketing, planejamento estatístico, análise de resultados etc. Algumas delas pregam a Teologia da Prosperidade, pela qual o cristão está destinado à prosperidade terrena, rejeitando os tradicionais usos e costumes pentecostais. O neopentecostalismo constitui a vertente pentecostal mais influente e a que mais cresce. Também são mais liberais em questões de costumes.


Além das grandes denominações pentecostais, existem hoje milhares de "ministérios independentes" ou novas denominações surgindo anualmente no Brasil e no mundo.

Paralelamente ao Pentecostalismo, várias denominações protestantes tradicionais experimentaram movimentos internos, com manifestações pentecostais. Assim foram denominados "Renovados",
como a Igreja Presbiteriana Renovada(originária da IPB), Convenção Batista Nacional (originária da CBB), Igreja do Avivamento Bíblico (originária da IMB), Igreja Cristã Maranata (originária também da IPB) e a Igreja Adventista da Promessa (originária da IASD).

Nos anos mais recentes a doutrina de renovação do Pentecostalismo ultrapassou até mesmo as fronteiras do Protestantismo, surgindo movimentos de renovação pentecostal Católica Romana e Ortodoxa Oriental, como a Renovação Carismática Católica.

Fonte: FRESTON, Paul. Breve história do pentecostalismo brasileiro. In: ANTONIAZZI, Alberto (coordenador).
Nem anjos nem demônios: Interpretações sociológicas do pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1994, p. 67-162 , Wikipédia e site Montfort.





sábado, 23 de fevereiro de 2008

Falo daquilo que vejo, pois convivo com aqueles que são.

Porque uma pessoa optaria em seguir os passos de Nosso Senhor Jesus se tudo o que essa pessoa vive está “bom”? Porque carregar uma cruz pesada se no seu pensamento basta o crer para ser salvo? Algumas dessas participam de excursões para a Canção Nova, umas chegam a ir de três em três meses, outras de seis em seis, já tem aquelas que vão uma vez por ano, isso não importa cada uma vai quando e quantas vezes quiserem. O que quero escrever aqui é sobre as mais próximas de mim que vivem essa realidade de ter suas “experiências” com Deus, que participam dos acampamentos e voltam todas melosas. Falam de Jesus com se tivessem ido a um parque de diversões e participado de suas aventuras espirituais. Jesus me curou disso, Ele me curou daquilo, parei de fumar, parei de beber, só não param mesmo é de ofender nosso Salvador. Quem sabe foram num consultório grátis em que pelo “Espírito Santo” in Delivery, recebem suas curas milagrosas. O pior é que quem conhece essas pessoas vêem em seus rostos tamanha hipocrisia que dá nojo, que dá ânsia, pois vemos tamanha falsidade, as pessoas mais estúpidas conseguem ver isso. Convivemos com a soberba humana, sei que somos vermes, incapazes muitas vezes de ver o erro, precisamos de ajuda, é preciso nos entregar a Nosso Deus e pedir misericórdia pela nossa fraqueza e nossa cegueira diante de tanto lixo que o demônio coloca na nossa frente, sozinho jamais conseguiremos nada. Sei também que o problema dessas pessoas é não aceitar diálogo, e falar dos erros da RC”C” é pior que atacar seus pais, somos considerados uns demoníacos, aqueles que ofendem a Deus. Quero pedir desculpa sobre isso que vou dizer, mais vou dizer mesmo assim, muitas vezes já ouvi comentários sobre pessoas que conheço de perto: “Nossa tal pessoa é gostosa hein”, comentários maldosos, falaram isso de uma mãe de família, casada. Mais como não falariam se essa pessoa anda de calça apertada, despertando o desejo, e como homem devo reconhecer que se aceitarmos as sugestões do inimigo, acabamos caindo. A mulher não tem dimensão do que ela faz a um homem que a vê com roupas justas, já outras tem essa dimensão mais fazem de propósito para seduzir os olhares maliciosos, tem aquelas que desfilam com calcinhas a mostra, coisa que já basta e muito para que os homens caiam em tentação. Nossa Senhora de Fátima predissera: “Virão modas que ofenderão muito a Nosso Senhor” (Jacinta de Fátima). E vejo isso nessas mulheres, que freqüentam os acampamentos milagrosos, mais que não deixaram de usar suas modas imorais, nem pensam em deixar de assistir novelas imundas, ou de ver as tolices do Big Brother, jamais querem deixar os filmes imorais, pois em suas mentes brilhantes isso não tem nada a ver, pensam. Imagina quantos hoje estão no fogo eterno infernal pela famosa frase: “isso não tem nada a ver”. Nas suas concepções somos uns radicais idiotas que acham que tudo é pecado, que vivemos num mundo antiquado, que hoje tudo mudou. Que pena que se esqueceram de Jesus dizendo: Eu sou o mesmo hoje, ontem e sempre, talvez Nosso Senhor seja um antiquado para elas. Querem fabricar seus “jesuses” da moda, do Rock Católico, Pagode Católico, Axé Católico, Pop Católico, Jesus agora é um Super Star, Jesus agora é um freqüentador de Cristotecas e dança a noite inteira com os cristãos mornos, esperando converte-los. Não, não é assim, basta tanta ofensa. Na Missa que deveria ser compreendida como um Sacrifício, presenciamos um showzinho de quinta, alguns Rev. Padres que acham ser cantores acabam sujando os ouvidos dos bons católicos com músicas que trazem o prazer em vez da beleza. Com o Santíssimo exposto dançam e se divertem com suas “adorações” festivas. Muitas dessas pessoas que conheço, participam dos acampamentos da Canção Nova e hoje continuam bebendo, fumando, são fofoqueiros profissionais, abrem a boca para exalar as imundices de sempre, e daqui uns meses estão lá de novo participando das curas, milagres, voltam e continuam os mesmos. Claro que cada pessoa tem suas parcelas de culpa em tudo isso, só que tudo isso acontece por falta de doutrina, falta de conhecimento, falta de amor, falta da caridade verdadeira e da verdade que deve ser dita e não blábláblá, falta dizer que temos uma cruz pra carregar e que não seremos salvos pelo simples fato de crer, mais precisamos agir. Olha como a Santa Missa Tridentina é linda, o respeito, o amor do Sacerdote com a Santíssima Eucaristia, e temos que presenciar hoje nas Missas Shows, o desrespeito, a indecência que tratam Nosso Senhor. Precisamos lutar contra tudo isso, conseguir vencer o inimigo com o amor de Deus, estamos numa batalha, e no fim o Imaculado Coração de Maria Triunfará, mais temos que sofrer e resistir até o fim, a perseverança faz parte de um cristão verdadeiro, e a luta é contínua. As mulheres precisam se respeitar e se vestirem descentemente para não prejudicarem os homens muitas vezes casados que as olham já desejando seus corpos, elas precisam imitar Nossa Santa Mãe, a Santíssima Virgem Maria. Imagina se uma mulher se quer tivesse a coragem de pensar: “Vou imitar a Santíssima Virgem”, jamais ela vestiria calças, ou blusinhas mostrando suas costas, seus seios que ficam buscando os olhares maldosos, quando que uma mulher ousaria colocar uma mini-saia, não encheriam seus braços de pulseiras, nem lambuzariam seus lábios de batons escandalosos que só satisfazem a vaidade, se elas decidissem imitarem Nossa Senhora jamais pecariam assim. Vamos pedir pela conversão de cada uma dessas que muitas são mães, têm sua família formada e não pode continuar assim, se perdem por muito pouco e a ofensa ao Nosso Senhor é muito grande, o demônio ataca violentamente a mãe porque ela é o coração da família, e ele sabe que se derrubar elas conseguem levar maridos, filhos, consegue destruir a casa e faz reinar um pequeno inferno dentro do lar, reina o ciúme, o ódio, a pirraça, brigas, desrespeito total um com o outro, até levar a separação. Olha estou falando tudo isso porque sou casado, tenho filhos e sei que o Matrimônio é uma grande cruz e vocês que são solteiros podem crer, realmente é uma cruz e pesada, não é fácil carregar, mais temos que imitar o belo exemplo de Santa Rita de Cássia que carregou sua cruz com amor, ser fortes e fiéis nesse Sacramento instituído por Deus. Se a vontade de Nosso Criador é que sejamos casados, então devemos aceitar e ser pacientes vivendo a nossa vocação, eu tenho minha esposa, é uma mulher linda do meu lado que amo muito e que Deus me livre de fazer algum mal a ela ou aos meus amados presentes que são meus filhos, não digo só mal fisicamente, digo principalmente de olhares maldosos, de não ser um marido fiel, de não poder educar meus filhos como devem ser, tenho obrigação como pai e esposo lutar cada dia pela contínua vida cristã de cada uma deles, faço parte da vitória dos meus, daqueles que Deus confiou a mim e poder um dia chegar a Ele e dizer: "Dos que me deste não perdi nenhum ". (Jo 18,9). Então precisamos nos preparar, pois estamos numa batalha difícil, precisamos nos defender, e temos muitas armas, como a palavra de Deus, as devoções Marianas, Santo Rosário, Medalha Milagrosa, Escapulário do Carmo, O 5 primeiros Sábados e muitas outras, são armas contra o inimigo invisível que vive 24 horas esperando o momento certo pra dar o bote, fiquem esperto, porque está escrito: "Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar". (1Pd 5,8). Devemos fugir da religião fácil e prazerosa, como se fosse à coisa mais divertida seguir o caminho de Deus, como se não tivéssemos uma cruz pesada para carregar, fujamos desse blábláblá que fala ao vento e não a Deus, fujamos da hipocrisia e da mentira disfarçada de cordeiro, de todos os vícios, principalmente a soberba, fujamos dessa “Missa” alegrinha inventada pelo homem, cheia de sacrilégios contra Nosso Senhor como se fosse uma festinha na Santa Igreja e não Sacrifício verdadeiro de Jesus. Como já foi dito: “A Verdade gera ódio e tem poucos amigos”, e precisamos ser fiéis, você verá o ódio, pode ter certeza, principalmente daqueles que você mais ama e nunca imaginou que poderiam se virar contra você, veja esse versículo: "e os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa". (Mt 10,36). E eu não sei disso?

Termino com amor esses poucos escritos e desejando uma Santa Paz a cada um dos leitores, que Nosso Deus lhes dê força e coragem para lutar e vencer as obras malignas, que possamos viver uma vida santa, em unidade com a Igreja Verdadeira e Única, que sejamos acolhedores, caridosos, sem medo de dizer a verdade, porque ela é que faz o homem crescer na vida espiritual. Coragem, coragem, coragem!



Ad majorem Dei gloriam

Dioney Jr




Espírito Contraditório

A “Canção Nova” coloca um artigo bem do espírito contraditório do Frei Mozer: “Carnaval: festa de Deus ou do Diabo?”. Esse realça as “coisas boas do carnaval” e diz que é algo moralizante a condenação a esta festa – leia abaixo um pequeno trecho:......

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

+ PROFANAÇÕES

Eles estão colocando em prática o desejo do fundador: "Eu gosto de bagunça!" (Pe. Roberto José Lettieri. Fonte: Site da Toca de Assis).

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Vaidade das vaidades, tudo é vaidade

VEJA A CAVEIRA HORROROSA QUE SE ESCONDE
DEBAIXO DE TODA VAIDADE E OSTENTAÇÃO
MULHERES, PARA QUE TANTA VAIDADE?
Quanto mais feias, mais escandalosamente se vestem.
Querem ser vistas a todo o custo.
Lutam para conquistar com as roupas depravadas
aquilo que não conseguem com o rosto.

Ó "senhora" caveira, onde estão aqueles cabelos que você passava horas e horas no salão a penteá-los e a pintá-los, mudando de cor a cada semana? Caíram todos, isso mesmo, caíram todos para nunca mais voltar: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Eclesiastes 1, 2).
Ó "senhora" caveira, onde estão as suas sobrancelhas, às quais, você, mesmo sentindo dores, colocava a pinça a trabalhar. Caíram todas! Agora sim, foram retiradas para sempre: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Eclesiastes 1, 2).
Ó "senhora" caveira, onde estão os seus olhos ornamentados com sombras, pinturas e lentes de contato? Eles não existem mais; restou apenas um buraco cheio de vermes: "Por mais que alargues os teus olhos com pintura, em vão te aformosearás!" (Jeremias 4, 30).
Ó "senhora" caveira, onde estão as suas bochechas que eram tão acariciadas com dezenas de cremes e pinturas? Você se lembra do tempo que perdeu diante do espelho a se maquiar? As suas bochechas não existem mais, foram devoradas por famintos vermes: "... os bichos te cobrem como um cobertor" (Isaías 14, 11).
Ó "senhora" caveira, onde está aquele nariz que passava horas e horas a cheirar os mais requintados perfumes e que sustentava piercing? Ele não existe mais, resta agora apenas uma cavidade, morada dos vermes: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Eclesiastes 1, 2), e "Naquele dia, o Senhor as despojará ... dos pendentes do nariz" (Isaias 3, 18. 21).
Ó "senhora" caveira, onde estão as suas orelhas sofredoras, às quais foram perfuradas por várias vezes com furiosidade, para serem dependurados pesados, caros e reluzentes brincos? Não existem mais, apodreceram e foram devoradas por vermes: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Eclesiastes 1, 2).
Ó "senhora" caveira, onde estão os seus delicados lábios, os quais você "embatonzava" várias vezes ao dia, diante de um espelho em casa, no escritório e até dentro do próprio carro? Também apodreceram; resta agora apenas a arcada dentária, morada de vermes peçonhentos, que passeiam em sua boca como jovens em uma praça: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Eclesiastes 1, 2).
Ó "senhora" caveira, onde está aquele pescoço, tantas vezes enfeitado com riquíssimos colares e gargantilhas? Não existe mais, resta apenas alguns ossinhos sustentando o crânio: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Eclesiastes 1, 2).
Ó "senhora" caveira, onde estão os pulsos, dedos e tornozelos que eram adornados com ricas jóias? Tudo foi devorado pelos vermes, restam apenas os ossos fedorentos: "Naquele dia, o Senhor as despojará do adorno dos anéis dos seus tornozelos... dos pingentes, dos braceletes..." (Isaias 3, 18-19).
Ó "senhora" caveira, onde estão as suas unhas, com as quais você gastou tempo e dinheiro para mantê-las sempre pintadas com as mais variadas cores? Agora estão escuras e rústicas: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Eclesiastes 1, 2).
Ó "senhora" caveira, onde está aquele corpo que era banhado diariamente com perfumes raríssimos? Aquele corpo tão elegante e acariciado que você mal o cobria com roupas de tecidos caríssimos e das mais relevantes marcas? A carne apodreceu toda, foi devorada por vermes famintos, só resta agora uma caveira repugnante: "Sob o teu corpo os vermes formam como um colchão" (Isaias 14, 11).
LEMBRE-SE DE QUE TUDO PASSA !
Fonte:

A Cavalaria



"Agora, quem não tem uma espada, venda o manto e compre uma" (S.Lucas XXII, 36).

"Maldito aquele que não ensangüentar a sua espada" (Jer. XLVIII, 10).

Moisés viu que o povo estava desenfreado, porque Aarão tinha-lhe soltado as rédeas, expondo-o assim à mofa de seus adversários.Pôs-se de pé à entrada do acampamento e exclamou: “Venham a mim todos aqueles que são pelo Senhor!”
Todos os filhos de Levi se ajuntaram em torno dele.Ele disse-lhes: “Eis o que diz o Senhor, o Deus de Israel: cada um de vós meta a espada sobre sua coxa. Passai e repassai através do acampamento, de uma porta à outra, e cada um de vós mate o seu irmão, seu amigo, seu parente!”.Os filhos de Levi fizeram o que ordenou Moisés, e cerca de três mil homens morreram naquele dia entre o povo.
Moisés disse: “Consagrai-vos desde hoje ao Senhor, porque cada um de vós, ao preço de seu filho e de seu irmão, tendes atraído sobre vós hoje uma bênção” (Ex 32. 25-29).

Qual a posição oficial da Igreja sobre o Concílio Vaticano II? - MONTFORT

Qual a posição oficial da Igreja sobre o Concílio Vaticano II? - MONTFORT

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Dez Erros da Renovação

por, Tiago M.
Não conheço nenhum estudo mais profundo sobre o tema. É preciso encontrar o ponto mortal deste movimento. O ponto do qual não poderão se esquivar. Do contrário continuarão a difundir seus erros e a enganar a muitos. Aí vai uma síntese dos erros mais comuns:
1. Quando se argumenta contra o seu movimento logo dizem: “Graças a RCC que sou católico”. Dizendo assim algo diverso do que diz o catecismo: “Sou católico pela graça de Deus”.
2. O “renovês carisnóico” não tem nada a ver com a glossolália ou xenoglossia. Daí a incapacidade de demonstrar isso segundo a Tradição, que é algo que desconhecem completamente, por isso segue algo oposto que é a Sola Scriptura ou Sola Fide. Nesse movimento não há uma estrutura uniforme de heresia, há a ênfase na experiência, por isso a heresia é móvel. Assim, na prática, o “carisnóico” é favorecido pela Teologia da Libertação por causa de sua teologia sobre os leigos, mas teoricamente se declara contra a TL.
3. A ênfase a experiência, fruto da iniciação, revela o caráter pietista e herético do movimento. Por isso quando alguém fala contra a RC”C” eles dizem: “Ele não sabe o que fala, precisa de alguma cura, precisa abrir o coração.” Quem não é do movimento, quem não foi iniciado pelo “batismo no espírito” não é iluminado, é um coração gelado e frio.
4. O caráter anti-clerical e anti-institucional do movimento. Os “carisnóicos” fazem exorcismos às escondidas, justificando que não há padres exorcistas em suas dioceses, não há mãos consagradas em sua região filiadas a sua seita. É certo que qualquer um pode ter “ataques” ou um curto-circuito psicológico em meio a toda a gritaria e exacerbação durante o culto do movimento. Todos falando o “renovês” em voz alta com a banda tocando com seus instrumentos não poderiam resultar em algo diverso disso.
5. Um carisnóico basta-se a si mesmo. Recebe a revelação sem intermediários. O espírito santo fala com eles como que por telefone. Uma pessoa que anda pelo deserto por muito tempo talvez enxergue alguma visão. Do mesmo modo os “carisnóicos” promovendo encontros que duram fins de semanas inteiros, vigílias por noites inteiras, não ficarão esgotados ou paranóicos? Não é monsenhor Jonas que diz que teve, por imposição das mãos, de receber oração por cerca de 12 horas para receber um tal espírito? Quem, por mais forte que seja, resistirá a isso? Por que um padre precisaria que leigos lhe impusessem as mãos?
6. O “carisnóico” acha que o milagre é a prova cabal de que tal prática é de Deus. Isso não é verdade. Centros macumbíferos e espíritas afirmam fazer milagres. Esses “carisnóicos” acham que toda pessoa de cadeira de rodas pode e deva ser curada. Um deficiente físico é alvo certo nesse movimento. Essas pessoas acabam humilhadas nesse movimento e não relatam isso porque lhe foi imputada uma “falta de fé” ou “essa pessoa não acreditou”. O argumento do milagre é um argumento “ad hoc”, não serve como prova formal. Esses milagres não vêm pelos meios instituídos por Nosso Senhor e devem ser rejeitados como erros que são.
7. O “carisnóico”, em suas comunidades como a Shalom, faz votos a um leigo-fundador. Essas comunidades são as provas de que esse movimento é ati-institucional. É comum nessas comunidades ver o líder-fundador gerenciar até os namoros e casamentos. Nelas e de um modo geral a RC”C” clericaliza leigos. Nesse movimento todos acham que podem vestir um hábito e se fazer monges. Tudo por ordem do “espírito”.
8. O “carisnóico” NÃO segue o Papa. Isso mesmo: não segue. Só há um aparato exterior de obediência, assim como o clero comunista. O Papa não sai por aí rebolando e soltando a franga. O Papa fala muitas línguas, mas não o “renovês”. O Papa anda age conforme a dignidade de seu cargo. Os carísnóicos rebolam com quê dignidade?
9. “O carisnóico” é anti-intelectual. Por isso o renovês, idioma oficial da seita, é definido como uma linguagem aconceitual e ininteligível. Essa linguagem está conforme a prática que é de pedra. A teoria deve se moldar conforme a loucura, mais acentuada em uns, menos em outros. Deve ser a mais flexível possível para não “engaiolar o espírito”.
10. Se o iniciado na seita não é intelectual é super emotivo, é fideista. Isso é comum hoje: juntar erros que mais agradam para montar um monstro, um católico ao seu modo. Hoje não se pode questionar o erro do outro. Não se deve corrigir os que erram. O agnosticismo gera o anti-intelectualismo. O que importa é seguir a consiência. Então se o “carisnóico” segue sua consciência, a nova teologia e filosofia que segue todo tipo elucubrações de desvairados, os aclama como sendo uma boa e louvável renovação, quando não passa de uma boa e grossa heresia.
Poder-se-ia dizer muito mais sobre esse movimento. Quando a igreja se levantar dessa crise modernista e liberal, com seu ensino de sempre, com sua doutrina de sempre, será o fim de tal movimento. Todo “carisnóico” é como uma barata: foge da luz.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Exorcistas fazem críticas ao Concilio Vaticano II

Padre Gabriele Amorth disse: A fumaça de Satanás entra em todas as partes.
Em todas as partes!

Papa Paulo VI:" Por alguma brecha a fumaça de Satanás entrou no templo de Deus: existe a dúvida, a incerteza, a problemática, a inquietação, o confronto. Não se tem mais confiança na Igreja; põe-se confiança no primeiro profeta profano que nos vem falar em algum jornal ou em algum movimento social, para recorrer a ele pedindo-lhe se ele tem a fórmula da verdadeira vida. E não advertimos, em vez disso, sermos nós os donos e os mestres [dessa fórmula]. Entrou a dúvida nas nossas consciências, e entrou pelas janelas que deviam em vez disso, serem abertas à luz...". " Também na Igreja reina este estado de incerteza. Acreditava-se que, depois do Concílio, viria um dia de sol para a história da Igreja. Em vez disso, veio um dia de nuvens, de tempestade, de escuridão, de busca, de incerteza. Pregamos o ecumenismo, e nos distanciamos sempre mais dos outros. Procuramos cavar abismos em vez de aterrá-los. Como aconteceu isso ? Confiamo-vos um Nosso Pensamento: houve a intervenção de um poder adverso. Seu nome é o Diabo" (Paulo VI, Discurso em 29 de Junho de 1972)



D. Andréa Gemma e o Padre Gabriele Amorth



D. Andrea Gemma, Io, vescovo esorcista (Eu, bispo exorcista), Editora Mondadori, Milão, 2002, 208 pp.



3. A Igreja em crise não usa as suas armas



O bispo procurou inspiração nos textos do Vaticano II, e eis as suas conclusões:



“Ide e folheai todos os documentos do Concílio Vaticano II, [...] verificai se fala, e quantas vezes, do demônio e das suas obras. Sabeis que naqueles dezesseis documentos, pensados e ponderados, não existe sequer a palavra inferno, nem a palavra ‘demônio’? Incrível, mas verdadeiro, basta ir verificar...” (p. 88).


Ele debruçou-se sobre os textos litúrgicos antigos e novos. E ficou estupefato:


“Sempre lamentei que na reforma da Missa se tenha tirado aquela oração a São Miguel [Exorcismo Breve], que Leão XIII, não sem inspiração do alto, quis que fosse recitada no fim de cada celebração. Muitas vezes o demônio, pela voz dos possessos, fez saber que gostou muitíssimo dessa abolição! [...] O que é que sugeriu e sugere evitar-se o mais possível, nos textos litúrgicos, a menção a Satanás, às suas nefastas intervenções, às conseqüências da sua ação destrutiva? Quem possa, que me responda. E com argumentos válidos, por favor.



[...] Hoje a obra assassina do demônio é mais evidente do que nunca [...]. Então, não somente não era o caso de expurgar as fórmulas deprecatórias e imprecatórias, mas sim de multiplicá-las e reforçá-las. Porém, infelizmente não foi assim” (p. 27).

......................................................................................................................................................................

Entrevista com o Padre Gabriele Amorth, o exorcista do Vaticano.

fonte:. cot.org



GABRIELE AMORTH: O Concílio Vaticano II tinha comandado a revisão de alguns textos.


Desobedecendo a essa ordem, o que se quis foi refazê-los completamente.
Sem pensar que se podiam piorar as coisas em vez de melhorá-las. E tantos ritos foram piorados por essa mania de querer jogar fora tudo o que havia no passado e refazer tudo desde o começo, como se a Igreja tivesse até hoje sempre tapeado e enganado, e só agora tivesse chegado o tempo dos grandes gênios, dos superteólogos, dos superbiblistas, dos superliturgistas, que sabem dar à Igreja as coisas certas. Uma mentira. O último Concílio tinha simplesmente pedido a revisão desses textos, não a sua destruição.


O Ritual dos exorcismos, por exemplo: era para ser corrigido, não refeito.
Havia orações que têm doze séculos de experiência.


Antes de eliminar orações tão antigas e que por séculos demonstraram a sua eficácia, seria preciso pensar longamente. Mas não. Nós, os exorcistas, experimentando o Ritual "ad interim", vimos que são absolutamente ineficazes.


Também o Ritual do Batismo das crianças foi piorado.

Foi desvirtuado até quase eliminar o exorcismo contra Satanás, que sempre teve enorme importância para a Igreja, tanto que era chamado "exorcismo menor".

Contra esse novo rito protestou publicamente também Paulo VI.


Foi piorado o novo Ritual de Bênçãos. Li minuciosamente todas as suas 1200 páginas. Pois bem, foi cuidadosamente tirada toda referência ao fato de que o Senhor nos protege de Satanás, que os anjos nos protegem do assalto do demônio.


Tiraram todas as orações que havia na bênção das casas e das escolas. Tudo tinha de ser benzido e protegido, mas hoje a proteção contra o demônio já não existe, já não existem defesas e tampouco orações contra ele.


O próprio Jesus tinha-nos ensinado uma oração de libertação no pai-nosso: "Livrai-nos do Maligno. Livrai-nos da pessoa de Satanás". Em vernáculo foi traduzida de forma errônea, e agora se reza dizendo: "Livrai-nos do mal". Fala-se dum mal genérico, do qual no fundo não se sabe a origem. Ao contrário, o mal contra o qual Nosso Senhor Jesus Cristo tinha-nos ensinado a combater é uma pessoa concreta: é Satanás.



29. Padre Amorth, o satanismo difunde-se cada vez mais. O novo Ritual torna difícil fazer exorcismos. Impede-se aos exorcistas a participação numa audiência papal na Praça de S. Pedro. Diga-me sinceramente: o que está acontecendo?


GABRIELE AMORTH: A fumaça de Satanás entra em todas as partes.


Em todas as partes!

Talvez tenhamos sido excluídos da audiência do Papa porque tinham medo de que tantos exorcistas conseguissem expulsar as legiões de demônios que se estabeleceram no Vaticano.


30. Está brincando, não?


GABRIELE AMORTH: Pode parecer um modo de dizer, mas creio que não seja. Não tenho dúvida alguma de que o demônio tenta sobretudo os postos altos da Igreja, como tenta os postos altos da política e da indústria.



31. Está dizendo que também aqui, como todas as guerras, Satanás quer conquistar os generais adversários?


GABRIELE AMORTH: É uma estratégia vencedora. Sempre se tenta efetuá-la.


Sobretudo quando as defesas do adversário são fracas. E também Satanás tenta.


Mas ainda bem que existe o Espírito Santo que sustém a Igreja: "As portas do inferno não prevalecerão". Apesar dos abandonos.


Apesar das traições, que não devem surpreender. O primeiro traidor foi um dos apóstolos mais próximos a Jesus, Judas Iscariotes. Mas apesar disso a Igreja continua no seu caminho. Mantém-se em pé pelo Espírito Santo, portanto toda a luta de Satanás pode ter somente sucesso parcial. Claro, o demônio pode vencer algumas batalhas. Inclusive importantes. Mas jamais a guerra.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Mons. Jonas Abib copia livro de Protestante sobre a Biblia

Está foto acima, é do livro "Como estudar a Biblia Sozinho" do pseudo pastor protestante Tim LaHaye, da editora Betânia. Em que Mons. Jonas Abib copiou para editar com sua autoria os dois livros "A Biblia foi escrita para você" e "A Bíblia no meu Dia a Dia". Qualquer semelhança "NÃO É MERA COINCIDÊNCIA".




Todas as idéias e até capitulos inteiros do livro de Tim LaHaye, foram copiados (o livro de Tim é de 1969).

Mons. Jonas Abib afirma como sendo uma Verdade: "A palavra explica a Palavra"
....................................................................................................................................................................
Uma legitima interpretação necessita da Igreja em seu magistério e sua Divina Tradição, pois somente o texto dá margem a muitos erros equivocos e afirmações de tolices sem limites.
...................................................................................................................................................................

Monsenhor Jonas Abib, no seu livrinho de bolso, "A Bíblia foi escrita para você", escreve heresias de Lutero descaradamente, e o pior que afirma como sendo " uma verdade". Fica interessante quando comparamos as afirmações do Monsenhor Jonas Abib com o Concílio de Trento, de São Pio V.


No livrinho, Monsenhor Jonas Abib, sobre o argumento de que a Bíblia é um livro de difícil interpretação e que pode levar os menos incautos a erros doutrinários graves, diz que devemos deixar de acreditar nisto pois:

"Não podemos continuar apoiando-nos na sabedoria de homens"[SIC!] (pg. 7)


Então, Monsenhor Jonas Abib considera o Sagrado Magistério, único que detém o Dom da interpretação da Verdade revelada para preservação da integridade da Fé, como sendo "sabedoria de homens". Então, Monsenhor Jonas Abib nega o Sagrado Magistério, como negam os protestantes.

Continua Mons. Jonas Abib:

"Mas nada e ninguém substitui a Palavra de Deus, colhida por nós, diretamente da Bíblia."

" A Palavra de Deus irá se esclarecendo por si mesma."[os destaques são meus] (pg.8)

Mais uma vez, a afirmação de que o cristão não necessita do Sagrado Magistério para interpretar as Verdades de Fé contidas na Bíblia. E para completar a tragédia, Mons. Jonas Abib vai afirmar que isto é uma VERDADE!!!

"Esta é uma verdade que muitos precisam entender: a Palavra explica a Palavra... A Palavra de Deus vai se explicando a si mesma ."[destaques são meus] (pg.8)

Impressionante a afirmação de Monsenhor Jonas Abib, não acha? Lutero ficaria orgulhoso!!!

Veja agora o que ensina São Pio V, no Concílio de Trento, Seção IV, parágrafo 786:

"Ademais, para refrear as mentalidades petulantes, decreta que ninguém, fundado na perspicácia própria, em coisas de fé e costumes necessárias à estrutura da doutrina cristã, torcendo a seu talante a Sagrada Escritura , ouse interpretar a mesma Sagrada Escritura contra aquele sentido, que [sempre] manteve e mantém a Santa Madre Igreja, a quem compete julgar sobre o verdadeiro sentido e interpretação das Sagradas Escrituras, ou também [ouse interpretá-la] contra o unânime consenso dos Padres, ainda que as interpretações em tempo algum venham a ser publicadas Os que se opuserem, sejam denunciados pelos Ordinários e castigados segundo as penas estabelecidas pelo direito."[destaques são meus]

Deus nos livre da heresia.

Regina sine labe originalis concepta, ora pro nobis.

Fred-BH

Mons. Jonas Abib, um perigo para FÉ!






Disparates de Felipe Aquino, Sobre o CVII

Acesse: http://preciosodeposito.blogspot.com/2008/01/disparates-de-felipe-aquino-sobre-o.html

A Verdade e o numero


Neste século o senso-comum diz que porque uma multidão segue um grupo é porque eles estão com a "verdade"... mas em realidade não é assim.
E por vezes o senso-comum, digo o povão por desconhecer e já perder a consciencia acabam seguindo os guias de cegos.

Um servo de Deus, um santo da Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana ao qual os cristãos católicos, temos como exemplo, e mais que isso a imitar -além de Cristo- são Santos e Santas sempre em exemplo de virtude, de vida, combatentes a favor da Verdade Absoluta e não meias-verdades rebuscadas e falasciosas que hoje se dissemina aqui e acolá e o povão seguem como cegos por seus ditos "pregadores" e dirigentes.

............................................................................

Eis o que ensina este servo de Deus: Homilia contra os que consideram o número como prova da verdade(Santo Atanásio)

Santo Atanásio

De Deus devemos esperar a força e as luzes necessárias para combater a mentira e o erro e a Ele recorreremos para obtê-las. Ele é o Deus da Verdade, Ele nos tirou do seio do erro e da ilusão, Ele nos diz no fundo do coração: "Eu sou a Verdade", Ele sustenta nossa esperança e anima nosso zelo, quando nos diz: “Tende confiança, Eu venci ao mundo."

Depois disso, como não sentir compaixão pelos que só medem a força e o poder da Verdade pelo grande número?

Esqueceram, portanto, que Nosso Senhor Jesus Cristo não elegeu senão doze discípulos, gentes simples, sem letras, pobres e ignorantes, para opô-los, ao mundo inteiro , e que não lhes deu, como única defesa, senão a confiança Nele?...

Quão admirável é à força da Verdade! Sim, a Verdade é sempre vencedora, ainda que esteja sustentada por um número muito pequeno.

Não ter outro recurso senão o grande número, recorrer a ele como a uma muralha contra todos os ataques, e como a uma resposta para todas as dificuldades, é reconhecer a debilidade de sua causa, é convir na impossibilidade em que se está de defender-se, é, numa palavra, reconhecer-se vencido....

Que vosso grande número me apresente a Verdade em toda sua pureza e seu brilho, estou disposto a render-me e minha derrota é segura; mas que não me dê como prova e razão nada mais que seu próprio grande número e sua autoridade: é querer causar terror e dar medo, mas de nenhum modo persuadir-me quando dez mil homens se tivessem reunido para fazer-me acreditar em pleno dia que é de noite, para fazer-me aceitar uma moeda de cobre por uma moeda de ouro, para persuadir-me a tomar um veneno descoberto e conhecido por mim, como um alimento útil e conveniente, estaria obrigado por isso a crer-lhes?

Portanto, já que não estou obrigado a acreditar no grande número, que está sujeito ao erro nas coisas puramente terrestres, por que quando se trata dos dogmas da religião e das coisas do céu, estaria eu obrigado a abandonar aos que estão afeiçoados à Tradição de seus Pais, aos que crêem com todos os que foram antes que eles...

Por que, digo, estaria eu obrigado a abandoná-los para seguir a uma multidão que não dá nenhuma prova do que afirma? ...

"Não sigais a multidão para fazer mal, nem o juízo te acomodes ao que parece do maior número, se com isso te desvias da verdade”

Texto: enviado por: Rodrigo Salesi

*****