sábado, 24 de novembro de 2007

CANTO GREGORIANO

CANTO GREGORIANO: JÓIA RARÍSSIMA DA IGREJA
CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA


Prezado leitor, ouça e cante com freqüência o Canto Gregoriano, ele é a jóia raríssima da Santa Igreja: "As várias partes da Missa... devem conservar até musicalmente, a forma que a tradição eclesiástica lhes deu, e que se encontra admiravelmente expressada no canto gregoriano" (São Pio X, Sobre Liturgia e Música Sacra, 10), e: "A Igreja reconhece o canto gregoriano como próprio da liturgia romana. Portanto, em igualdade de condições, ocupa o primeiro lugar nas ações litúrgicas" (Sacrasanctum Concilium, 116).

Infelizmente, o que foi escrito na Constituição "Sacrosanctum Concilium", 116, ficou só no papel. O clero modernista, com grande aversão a tudo que é santo e piedoso dentro da Igreja Católica, achou melhor pisar, sapatear e cuspir na jóia raríssima da Igreja Católica: o Canto Gregoriano.
Caríssimo leitor, não é grande impiedade abandonar o Canto Gregoriano, contado na Igreja por muitos séculos, inclusive por centenas de santos, hoje, canonizados?

O que se vê e ouve hoje nos altares?

Muitos do clero acham que o presbitério é:

1. um curral para ali, celebrar a "missa do vaqueiro ou sertaneja", com violas, violões e acordeões;

2. um palanque de comício para cantar músicas com letras políticas como fazem os "devotos" da Teologia da Libertação;

3. um terreiro de macumba para ali, celebrar a "missa Afro" com seus atabaques, pandeiros, cuícas, reco-recos, chocalhos e berimbaus, sem falar nos gestos aberrantes;

4. um sambódromo para ali, celebrar a "missa de curas e libertação" e "show-missa". Esses protestantes camuflados, aproveitam do altar para rebolarem, pularem, dançarem, "repousar no espírito" e muitas outras cisas esquisitas.

Será que existem ainda hoje, nos seminários, as "Scholas Cantorum" como deseja a Santa Igreja Católica? Claro que não! Existem sim, as "Scholas Rebolorum", formadas por pessoas sedentas do mundo e de sensacionalismo.

Caríssimo leitor, rezemos para que o Santo Padre, o Papa, coloque um fim nessa profanação da Liturgia.

Revmo. Pe. Divino Antônio Lopes FP

Nenhum comentário: