terça-feira, 2 de outubro de 2007

Ambíguidade da Missa Nova


Missa Nova é ambígua, equívoca, heretizante (que favorece a heresia, como as fotos acima /Missa Show/Missa Carismática/Missa do Vaqueiro/Missa Afro/ e outras e tantas heresias). A Missa Nova procura tornar tudo profano, pois ela pouco tem a ver com a Teologia da Missa antiga.Nova Missa de Paulo VI, feita por maçons e pastores protestantes, é a essa nova Missa causadora de tantos abusos e escândalos que cabe a pergunta: até que ponto essa Missa pode ser tida como ortodoxa? Até que ponto ela se afastou da doutrina católica?Desde o princípio, os Cardeais Bacci e Ottaviani denunciaram que a Nova Missa de Paulo VI se afastara perigosamente da doutrina de Trento, aproximando-se da teologia protestante da ceia. Depois, ela se tornou a fonte de abusos e de sacrilégios.Essa nova Missa contribuiu tanto para a apostasia de milhares de sacerdotes, quanto para o verdadeiro êxodo de fiéis católicos para as seitas protestantes.

3 comentários:

magdalia disse...

se soubessem o que me aconteceu. estou indignada com a atitude do prof felipe aquino. eu tenho deixado comentários no seu blog da cn sobre a tradição católica, o professor orlando fedeli e também críticas severas à comunidade canção nova velha a protestantoide que se diz católica. acontece que o prof felipe não está a publicar os meus comentários. estou indignada e verdadeiramente triste. embora eu já devia saber que o prof felipe não podia ser melhor do que os hereges seus amigos da cn. que tristeza! benfeita para mim! eu tinha a secreta esperança de conseguir tirar o prof felipe da cn! isso é vaidade, é pecado mortal! nem os gigantes da doutrina católica conseguiram isso. como eu, miserável criatura pecadora, ia conseguir semelhante coisa. aliás, o prof felipe já está bem avisado por muita gente, se não sai da cn, é porque concorda com os hereges protestantoides que lá estão. desisti do prof felipe! é um herege como os outros da cn. que pena, não queria que fosse assim. parecia-me uma excelente pessoa qe, embora defendesse o erro carismático, se esforçava para defender a doutrina católica. já aprendi a lição. já vi que não é assim. é de grande desonestidade intelectual não publicar comentários que diferem das suas opiniões. nunca pensei que o professor felipe fosse assim. estou muito decepcionada. e se até agora a única coisa que via na cn era a escola da fé, não vou ver mais nada. e vou cortar definitivamente minha contribuição mensal. não a tinha cortado antes por falta de coragem mas agora eu assumo aqui o bom propósito de não contribuir nunca mais com o envenenamento das almas feito pela canção nova velha, filha da heresia protestante. acabou-se! de mim, nem mais um sêntimo!

Anônimo disse...

Ave Maria purissima!
Realmente é deploravel ver uma instituição dita católica ter só título de se dizer católica...
A quanto tempo existe a CN ?
Quanto a CN tem contribuido para a conversao mesmo dos católicos do Brasil, católicos desviados pelo liberalismo e modernismo ?
Há 30 e poucos anos senão me falhe a memória e essa CN nada mais, nada menos se iguala e se molda aos erros deste mundo moderno... enquanto que os Papas ensinaram que a Igreja não deve-se inclinar ao erros deste mundo. Dou graças ao Bom Deus por suas luzes e em me avisar a não contribuir mais com estes ditos catolicos e outras ditas fundações que ostentam um falso título de catolicos e que perderam a fé. Digo francamente e honestamente não perco/não perdi nada, alias só tenho ganho mais amor a Verdadeira e unica Igreja Catolica Apostolica Romana... e ajudar ? Só realmente a que une a vontade da Fé Verdadeira.

AMDG!
Rodrigo
Obs: mesmo que certo 'famoso' eclesiastico receba título honorifico não significa isto que não esteja embebido em veneno pernicioso.

Católicos disse...

até que ponto essa Missa [Nova, de Paulo VI] pode ser tida como ortodoxa? Até que ponto ela se afastou da doutrina católica?

Acho melhor deixar um dos maiores defensores da Missa Tradicional falar, Mons. Marcel Lefebvre ( http://www.fsspx-brasil.com.br/page%2004-1.htm ). Citarei um trecho de um artigo do Respondeo ( http://permanencia.org.br/Respondeo/respondeo.htm ) que aborda sobre o problema da Missa Nova:

<<< Finalmente, jamais alegamos que a Nova Missa fosse herética ou inválida. A esse respeito, citamos palavras do próprio Mons. Lefebvre: “Evidente que a reforma litúrgica atual se inspira na reforma de Lutero. Eu disse isso, em Roma, a muitos Cardeais: “Vossa nova Missa é a Missa de Lutero!” A isso me foi respondido: “Mas então ela é herética!” E eu respondi: “Não, ela não é herética, mas é ambígua, equívoca, pois um pode celebrá-la com a fé católica integral do Sacrifício, da Presença Real, da Transubstanciação e outro pode celebrá-la sem ter essa intenção e, nesse caso, a Missa não será mais válida. As palavras que ele pronuncia e os gestos que ele faz não o contradizem. Ela é equívoca, sim, equívoca. E certamente Lutero, durante muitos anos, a celebrou validamente, quando ele ainda não estava contra o Sacrifício, quando ele era ainda mais ou menos católico. Porém, mais tarde, quando ele recusou o Sacrifício, o Sacerdócio, a Presença Real, então sua Missa passou a não ter mais validade” (“A Missa de Lutero”, Mons. Lefebvre) >>>
(Fonte: http://permanencia.org.br/Respondeo/missanova1.htm )

***

A Missa Nova é perigosa. Participando deste rito, corremos o risco de perder a Fé, pois o seu rito é ambuíguo, equívoco e heretizante.

Não podemos por nossa fé em risco - pois a "fé é principio da salvação humana, o fundamento e raiz de toda a justificação" -, enfim, não podemos (não covém) participar do N.O.M. sabendo que ele nos é ofensivo, que ele pode causar grandes males como contaminação com idéias e doutrinas heterodoxas, e que assim ele desagrada a Deus!

Se eu percebi que um certo rito novo desagrada a Deus e me prejudica, participando deste rito vou ofender a Deus.

Uma maçã podre é ainda e realmente uma maçã, mas nenhuma pessoa quer comer ela por ser podre. Mas é maçã! Sim, mas é podre e vai me fazer dano.
Comparemos está maçã podre com a Nova Missa que é um testemunho equívoco (enganoso) da fé, então assistindo a mesma fariamos um mal a nós mesmos colocando nossa fé em risco.

"Todo motivo medianamente grave escusa da obrigação de ouvir Missa, como o que se daria no caso de que a assistência à Missa provocasse um dano corporal ou espiritual para nós ou para outros" (E. Jone O.F.M., Compendio di Teologia morale, ed. Marietti, 1955, nº 200).

***

RESUMINDO: A MISSA NOVA (N.O.M.) É UM CASO DE CONSCIÊNCIA

Se percebemos o mal que nos faz participarmos (dano espiritual, risco de perder a fé) e como desagrada a Deus o N.O.M. (Nova Missa) e o fazemos, estamos sendo coniventes com tudo, com todo o erro, não podemos agir como se fosse algo normal.

Se não se percebe o mal que faz a fé (dano espiritual, risco de perder a fé) e como é ofensivo a Deus o N.O.M. (Nova Missa) e se participa, corre todos os perigos - se prejudica -, mas o rito continua a ser válido (se não houver outros motivos para o invalidadarem, como certos abusos), mas o fato de não saber dos perigos que se passa não ocorreria em conivencia com os erros.

Quem percebe as falhas graves da missa nova não pode participar dela como se tudo fosse normal. E comungar é precisamente a máxima participação dos fiéis à Missa!

Postado por: Victor R.