quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Carta a um Crismando

Crisma em São Paulo com Sua Ex. Rev. Dom Williamson

Caro Crismando

Eu te aconselho a nunca participar de qualquer encontro aonde, se utilize o tal (Batismo no Espírito Santo, Efusão do Espírito Santo), devido que esta prática não tem nada de Católico e sim de protestante. É só ir a uma livraria protestante e perguntar por estes termos sitados, eles como foram os fundadores dessa prática são muito mais conhecedores dessa prática do que nós Católicos.

Vou apenas citar link, da seita Assembléia de Deus, que é a maior seita pentecostal em todo mundo.

http://igrejaassembleiadedeus.org/batismo_espirito_santo.htm

“A expressão ´Batismo no Espírito Santo` recebemo-la dos pentecostais fundamentalistas, que, não tendo uma teologia sacramental, dão a esta o significado de uma verdadeira e própria efusão do Espírito, posterior à regeneração [pelo Batismo] e diferente dela” (S. Falvo, A Hora do Espírito Santo, Paulinas , São Paulo, p. 134).

Então é confesso pelos autores carismáticos que o chamado “Batismo do Espírito Santo” é distinto do Sacramento do Batismo, e que é uma coisa herdada dos hereges protestantes.

No Catolicismo nunca existiu (Batismo no Espírito Santo, Efusão do Espírito Santo).

Umas das qualidades que encontrei em você, e notei que valia apenar conversar contigo, foi sobre seu conhecimento dos pilares da fé Católica (Tradição, Bíblia, e Magistério), poucos Católicos tem esta noção aí fica difícil de conversar.

Tudo que de ensinamento que não for constituído nesses três pilares não vem de Deus.

Como é o caso, (Batismo no Espírito Santo, Efusão do Espírito Santo).

Nos encontros carismáticos "é quase uma obrigação a ser batizado no Espírito Santo" equivale a dizer que, no batismo de Cristo, nós não recebemos os dons do Espírito Santo.

Essa exigência de sermos "batizados" no Espírito Santo. Essa necessidade é falsa e contém um erro grave contra a Fé.


A RCC, dizendo isso, estabelece um oitavo sacramento, e nega ou o sacramento do Batismo, ou seus efeitos próprios. Ela estabelece um novo sacramento. Ora, o Concílio de Trento excomungou quem dissesse que havia mais, ou menos, do que sete sacramentos.

A própria CNBB, em 1994, num documento oficial dirigido especialmente aos movimentos chamados carismáticos, fez reparos e críticas a essa tendência de alguns elementos da RCC de exigir um "Batismo do Espírito Santo". A CNBB recomendou mesmo que não se usasse a expressão "Batismo no Espírito Santo". (Cfr. Orientações Pastorais sobre a Renovação Carismática Católica, 34.a Reunião Ordinária do Conselho Permanente 94, Brasília, DF, 22 a 25 de novembro de 1994, ed. Paulinas, São Paulo, 1994, n.o 53).

Cito-lhe trechos desse Documento da CNBB que interessam nessa questão:"54 -” A palavra "Batismo" significa tradicionalmente o sacramento da iniciação cristã. Por isso, será melhor evitar o uso da expressão "Batismo no Espírito”, ambíguo, por sugerir uma espécie de sacramento. Poderão ser usados termos como "efusão do Espírito Santo", "derramamento do Espírito Santo". Do mesmo modo, não se utilize o termo "confirmação" para não confundir com o sacramento da crisma (Cf. Comissão Episcopal de Doutrina, Comunicado Mensal, Dez. de 1993, 2217) “.

Hoje já observamos a má fé dos lideres carismáticos, continuam utilizando a palavra “Batismo”. Porque será?

Nunca diminua a eficiência do seu Crisma ,com (Batismo no Espírito Santo, Efusão do Espírito Santo).

A Efusão do Espírito Santo você recebera no seu Crisma, pelas mãos de um ungido, consagrado de Deus, o Bispo.


Leia o que o Catecismo diz:

A efusão do Espírito Santo.

O CIC no número 1302 explica os efeitos do Sacramento da Crisma:

Da celebração ressalta que o efeito do sacramento da Confirmação é a efusão especial do Espírito Santo, como foi outorgado outrora aos apóstolos no dia de Pentecostes. (R.C.”C”, ensina ao contrario).

Por isso, a confirmação produz crescimento e aprofundamento da graça batismal:

— enraíza-nos mais profundamente na filiação divina, e nos faz dizer "Abba, Pai" (Rm 8,15);

— une-nos mais solidamente a Cristo;

— aumenta em nós os dons do Espírito Santo;

— torna mais perfeita nossa vinculação com a Igreja

— dá-nos uma força especial do Espírito Santo para difundir e defender a fé pela palavra e pela ação, como verdadeiras testemunhas de Cristo, para confessar com valentia o nome de Cristo e para nunca sentir vergonha em relação à cruz.

No movimento carismático, nada, absolutamente nada, pode verificar-se sem um membro “iniciador”, que já tenha recebido o “batismo do Espírito” (ou seja, a “iniciação carismática”) e que, por si só, tenha-se tornado capaz de transmitir o “influxo espiritual” responsável pela impressão iniciativa. Isso constitui um
elemento capital no movimento carismático, elemento que também permite distinguir o Sacramento da Confirmação conferido no seio da Igreja Católica do mencionado “sacramento carismático”, pois somente um bispo pode conferir o Sacramento da Confirmação (ou um sacerdote delegado por ele), e ele não pode transmitir seu poder a seus sacerdotes e muito menos aos leigos. No movimento carismático, ao contrário, o iniciado transmite, através da iniciação, seu próprio poder de “iniciar”. Além disso – coisa estranha – um Cardeal pode receber a iniciação carismática das mãos de um menino dotado de “poderes espirituais” dos quais careceria o príncipe da Igreja. Basta que este menino tenha recebido o “sacramento” iniciático do “batismo do Espírito”. Tendo em vista a natureza hierárquica da Igreja, isso é simplesmente uma aberração!

Vamos dar uma lida nas escrituras:


A Sagrada Escritura dá testemunho que em tempos muito remotos Deus costumava conversar com os homens.

Tal era o caso de Adão (cf. Gn 1,28-30; 2,16-17; 3,9.11.17-19) e seu Filho Caim (cf. Gn 4,6-7.9-12.15).

Aliás eram os únicos homens na terra e só poderiam ser orientados pelo Senhor através Dele mesmo.

Quando a terra começa ficar populosa, o Senhor confia seus oráculos somente a poucos homens, para que sejam sinais, testemunhas e guia do Senhor para o resto da humanidade.

Este novo passo da revelação Divina aos homens é iniciado com Noé (cf. Gn 6,13-21; 7,1-4; 8,15-17).

Depois de Noé, o Senhor não só continua a dar prosseguimento ao Seu Magistério, como também começa a preparar o caminho da salvação através de Abraão.

E somente a ele confia sua revelação (cf. Gn 12,1-3.7; 13,14-17; 15; 17,1).

Sagrada Escritura nos conta que o Senhor (Jesus Cristo) também apareceu a Agar (escrava de Sarai, mulher de Abraão, com a qual o Patriarca teve seu primeiro filho, Ismael) concedendo-lhe uma revelação por causa da sua aflição (cf Gn 16,7-14).

Alguns poderiam afirmar aí que a exemplo de Agar o Senhor pode nos guiar diretamente.

Porém o Senhor que conhece o pensamento dos homens, para mostrar que seus oráculos não são confiados diretamente, mas sim através de um magistério legitimamente instituído, pede para que Agar volte depressa para a casa de Abraão, que é uma pré-figura da Igreja, pois era na casa de Abraão que naquele tempo estava presente o Magistério Divino.

Isto mostra que o Senhor pode revelar-se sim, das formas mais diversas e controversas possíveis, a qualquer um, em qualquer lugar e a qualquer tempo, porém Sua mensagem sempre nos exortará ir de encontro ao Seu Magistério, que é o Seu Sinal para todos os homens e de onde somente, podemos conhecer a Verdade.

Tal foi o caso do Apóstolo Paulo, que embora tenha recebido uma revelação direta do Senhor (cf. At 9,1-9; Gl 1,12), embora tivesse visto o Senhor ressuscitado, só pode dar início ao seu ministério após ter sido iniciado pela Igreja (cf. At 9,10-19); pois a Igreja é o sinal visível do Magisterio Divino.

Ninguém pode se declarar dotados de dons espirituais e nem se declarar pastor do povo de Deus, sem que a Igreja tenha lhe dado tal carisma.

Pois o ministério eclesiástico é ordenado (Lv 8,1-13; Dt 34,9; At 1,15-26; 6,1-6; 9,10-19; 1Tm 4,14; 2Tm 1,6; Tito 1,5) e o Espírito Santo é dado através dos Sacramentos da Igreja (cf. At 8,14-21; 19,13-19).

Assim como o ministério eclesiástico fora dado para a Igreja (através dos apóstolos) diretamente por Deus na Pessoa de Jesus Cristo e daí por diante foi concedido a outros somente através das sucessões apostólicas, o mesmo acontece com os dons do Espírito Santo, que inicialmente fora dado para a Igreja por Deus na Pessoa do Espírito Santo (cf. At 2,1-13) e daí por diante somente foi concedido através da Igreja nos seus Sacramentos, conforme o você pode verificar nas referências bíblicas anteriormente sitadas.

O Espírito Santo embora guiasse o Apóstolo Paulo orientando-o sobre o quê e onde deveria pregar, em uma revelação manda-o submeter seu Evangelho (sua pregação acerca da Boa Nova) ao Magistério da Igreja (cf. Gl 2,1-2).

São Paulo sabia muito bem que a Igreja era o sinal Visível da Verdade (cf. 1Tm 3,15), tanto o sabia que foi a Jerusalém submeter seu Evangelho os outros Apóstolos, pois temia pregar ou ter pregado em vão (cf. Gl 2,2).

Assim é a ação do Espírito Santo, sempre aponta para a Igreja, que é a única "Coluna e o Fundamento da Verdade" (cf. 1Tm 3,15).

E disto bem sabiam aqueles que amaram o Senhor antes de nós, pois sempre procuravam ser fiéis ao Magistério da Igreja (cf. At 16,4-5).

Nos capítulos 12 a 14, o Santo Apóstolo ensina como os coríntios deveriam administrar os carismas recebidos pelo Espírito Santo.

Ora, se o Espírito Santo guiasse diretamente os fiéis, não haveria a necessidade do Apóstolo prescrever tais instruções, já que a Igreja de Corinto era farta em carismas (cf. 1Cor 1,4-6).


Para aqueles que se julgam Pentecostais ou Carismáticos e verdadeiros conhecedores da Sagrada Escritura, saibam que a Escritura dá testemunho que aquele que realmente é tomado pelo Espírito Santo, sabe que é Este mesmo Espírito que confirma a Igreja na Verdade, sendo portanto imprescindível a fidelidade ao seu Magistério, pois tais são as palavras do Santo Apóstolo:

"Se alguém se julga profeta ou agraciado com dons espirituais, reconheça que as coisas que vos escrevo [o que ensina a Igreja] são um mandamento do Senhor. Mas se alguém quiser ignorá-lo, que o ignore!" (1Cor 14,37-38).

A “fé” carismática é feita de intuição, de sentimento, de experiência interior. É uma “fé” imanente e subjetiva. Não se trata de “saber” para crer, mas de “sentir” para crer. A alma toma o caminho da sensibilidade, e é aí onde o demônio está na espreita.


Antes eu dizia que os carismáticos esta envolvido por uma “Paixão”, depois conversando com um amigo ele me disse que está “Paixão” era o “Romantismo”, algo que preciso aprender.

Fica com Deus, e nunca se esqueça dos pilares da Igreja, te tudo que vem além desse pilares não passa das obras do mal.
Nunca diminua a eficiência dos sacramentos que você recebeu ou irar recebe na Igreja,com (Batismo no Espírito Santo, Efusão do Espírito Santo, que é criação das seitas pentecostais protestantes ).


7 comentários:

Camiseta Personalizada disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Se você quiser linkar meu blog no seu eu ficaria agradecido, até mais e sucesso.(If you speak English can see the version in English of the Camiseta Personalizada.If he will be possible add my blog in your blogroll I thankful, bye friend).

O Neo Guelfo-Ultramontano disse...

Muito bom esse texto, excelente argumentação!

Dominus Tecum!

Anônimo disse...

O Meu irmão que pena que você diz que tem conhecimento da Sagrada Escritura, da Tradição da Igreja,... mas me parece que vc não lê os documentos da Igreja, pois desde o Concilio do Vaticano II, o Papa vem escrevendo sobre essa "nova" renovação para Igreja Católica...

Meu Amigo, se quer realmente saber algo não busque em qualquer lugar, entre no site do vaticano, e pesquise...

Em Deus, Com Cristo e o Espírito Santo !!!!

Fica com Deus, e o Amor de Maria nossa Mãe....

ALEX disse...

SALVE MARIA!
RIDICULO ESSES RCCS O TAL DO BATISMO NO ESPIRITO SANTO ELE FOMENTAM DEMAIS...
ALEX

Anônimo disse...

olá, vi ao teu blog para dar a todos um óptimo ano novo!
Fica bem

Lázaro disse...

E para você também, um Feliz ano novo.

Lázaro

Anônimo disse...

Está tudo, dei uma espreitadela o teu blog e ponderei tanto,estou ver que estás a maravilhar bem!
Vai em frente com o bom esforço!
Fiquem bem