terça-feira, 26 de junho de 2007

Aberração ao Jesus Sacramentado

Aberração ao Jesus Sacramentado em uma dança ao redor do altar com o ostensório nos braços!
http://www.cancaonova.com/portal/canais/eventos/novoeventos/cobertura.php?tit=Ora%E7%E3o+de+cura+interior+atrav%E9s+da+dan%E7a&cod=169&sob=777#

Protestante, herético, blasfemico, satânico, ridículo, sacrílego, zombador, insolente, desrespeitoso, pagão, anti católico, anti apostólico, anti romano, anti cristão, ariano, demoníaco, profano, insultuoso, asqueroso!Esses são os frutos da renovação carismática que cada vez mais coloca pra fora suas garras, e que mostra a cada dia mais claramente em plena rede de tv aberto o quanto são anti católicos! ( PRECIOSO DEPÓSITO)

Só falta dançarem nú diante de Jesus Sacramento, justificando que o rei Davi também dançou nú diante da arca da aliança.

segunda-feira, 25 de junho de 2007

LEX ORANDI, LEX CREDENDI!

A foto acima, do Santo Sacrificio da Santa Missa na Igreja Católica Apostolica Romana.




A foto acima, o respeito de receber, Jesus Cristo de joelho, na boca com véu.


E AGORA!


Protestantismo Pentecostal infiltrado dentro da Igreja Católica Apostólica Romana, para profanar o nosso Deus.

Foto acima, Missa celebrada pelo Pe. Roberto ( T.A). e uma Missa realizada na Canção Nova


Tal “Pai tal filho”.
R.C. (C), filha dos pentecostais protestante.
É só observar, o comportamento de ambos.
São idênticos



Foto acima, dos cultos da seita IURD.

Uma pergunta a você leitor, que se encontra nesse meio carismático

Você beberia a água onde alguém pôs uma gota e é água de esgoto?

A sua resposta seria: “claro que não beberia, pois á água estaria contaminada e eu devo proteger a minha saúde”

A RCC quis contaminar água puríssima da fé católica com muito mais de uma gotinha.

Você leitor, poderia me questionar e dizer que a R.C.”C”. atrai muitos jovens?

Se fôssemos analisar a RCC pelo número de jovens que ela atrai e com isso concluir que ela é boa, teríamos forçosamente que admitir o Protestantismo como certo.

Termino com está frase:LEX ORANDI, LEX CREDENDI! (Assim como rezamos, assim cremos! ).


















terça-feira, 19 de junho de 2007

20 PERGUNTAS BÁSICAS PARA UM CARISMÁTICO

1) Por que Deus usaria um ambiente herético presbiteriano para reavivar os Dons Extraordinários que dera a Sua Igreja em Pentecostes?

2) Pode um católico receber a efusão do Espírito pelas mãos de um herege?

3) A origem escandalosa da RCC não põe em dúvidas os pretensos dons que dizem receber os carismáticos?

4) Se os dons que os carismáticos dizem receber forem de fatos do Espírito Santo por que causam tanta polêmica e tem dividindo tantos católicos?

5) Quantos grupos da Igreja tiveram um início semelhante ao da RCC na história da Igreja Católica?

6) A RCC estaria inserida em meio a uma nova fase da Igreja, chamado de “Novo Pentecostes”, termo usado pela primeira vez pelo Papa Paulo VI, mas o que ocorreu em pentecostes foi o inverso do que ocorre nos encontros carismáticos: em Pentecostes os apóstolos falavam em sua língua aramaico e todos os outros de outras nacionalidades que estavam na ocasião entendiam em suas próprias línguas. Nos encontros da RCC todos falam uma língua que ninguém entende se assemelhando mais ao ocorrido em Babel. Como o termo Novo Pentecostes pode ter sentido mediante ao que ocorre na RCC?

7) Se os Dons Extraordinários são mesmo, como defendem os carismáticos, tão importante para a fé dos cristãos por que Deus permitiu que eles cessassem por quase 2 mil anos? A Igreja teria sufocado estes dons como afirma Agnes Sanford, autora carismática em seu livro Os Dons de Cura do Espírito Santo?: [...] “o cristianismo teria sido, durante a História, rebaixado em algo materialista ou racionalista".

8) Onde se encontra as bases doutrinárias para as práticas e comportamentos ensinados pela RCC? O CIC não faz sequer alusão às praticas: “batismo no espírito”, “repouso no espírito”, “cura interior”, “maldição hereditária”, “baile no espírito”, “oração do monte” etc. Teria a RCC substituído a Tradição e o Magistério infalível da Igreja por uma interpretação subjetiva e desajeitada à moda protestante? Seria isto mais uma evidência da intoxicação protestante da RCC?

9) O CIC no número 1830 fala dos Dons do Espírito Santo, são sete: sabedoria, inteligência, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus. O CIC não menciona os Dons Extraordinários, por que será??? Claro que isto não significa que eles não existem, mas significa que a Igreja tem coisas mais importantes pra se preocupar (como por exemplo: ensinar os homens a amar e obedecer a Cristo, viver a Lei Moral) ao invés de ficar ensinando ou estimulando alguém a ficar cantarolando ou emitindo sons ridículos. Estaria a Igreja errada ao comentar sobre os Dons Ordinários do Espírito Santo em detrimento dos Extraordinários?

10) O Protestantismo foi criado para destruir a Igreja Católica, não para ser uma religião paralela ao catolicismo ou uma forma diferente de se relacionar com Deus (o que não poderia também ser lícito é claro). O Protestantismo além de querer destruir a Igreja Cristo se opõem às verdades revelados por Ele tais como: a Eucaristia, a Concepção Imaculada de Nossa Senhora, sua Virgindade Perpétua, o Purgatório a Interseção dos Santos, o Primado de Pedro, a Hierarquia Eclesial, etc. Apesar disto os carismáticos afirmam que os Dons de Línguas assim como os demais Dons Extraordinários; são “dons ecumênicos” (“o Espírito Santo sopra onde, quando e como quiser”) por isso não vêem nada de estranho que os protestantes também manifestarem os mesmos dons que eles. O Magistério da Igreja nos ensina que Deus age até mesmo nos maus, mas não concedendo a estes Dons Extraordinários que conotaria uma comunhão plena com a Igreja, mas o Espírito Santo agiria incidindo para a conversão destes e isto significa a adesão consciente à Sua única Igreja. A RCC ao defender este absurdo estaria dizendo em outras palavras que o Espírito Santo contribui para a perdição das almas fazendo com que protestantes permaneçam no erro e na heresia? Pode uma boca que rejeita a Eucaristia e os demais Dogmas ser presenteado com Dons Extraordinários?

11) O Magistério Infalível da Igreja nos ensina que a fé católica não é fruto do sentir, mas do crer. O católico aprende que deve crer nas Verdades reveladas por Cristo e ensinadas pela Igreja, então fé seria a adesão voluntária a estas Verdades.Os grandes doutores da Igreja ensinam e advertem o perigo de se desejar experiências sensíveis, como adverte São Vicente Ferrer:“Os que queiram viver na vontade de Deus não devem desejar obter [...] sentimentos sobrenaturais superiores ao estado ordinário daqueles que têm um temor e um amor a Deus muito sinceros. Tal desejo, de fato, só pode vir de um fundo de orgulho e de uma fé demasiado frágil. A graça de Deus abandona o homem que está preso a esse desejo e o deixa à mercê de suas próprias ilusões e das tentações do diabo que o seduz com revelações e visões enganosas”“Fugi da companhia e da familiaridade daqueles que semeiam e difundem essas tentações e daqueles que a defendem e louvam. Não escutais seus relatos nem suas explicações. Não procurais ver o que fazem porque o demônio não deixa de vos fazer ver em suas palavras e obras, sinais de perfeição aos quais vós poderíeis prestar fé e assim cair e vos perder junto a eles”Estariam: São Vicente, São Tomás e São João da Cruz que concordavam com São Vicente Ferrer, errados?

12) Quanto à questão dos Dons Extraordinários ocorrido em Pentecostes veja o que Santo Agostinho explica:"Quem em nossos dias, espera que aqueles a quem são impostas as mãos para que recebam o Espírito Santo, devem portanto falar em línguas , saiba que esses sinais foram necessários para aquele tempo. Pois eles foram dados com o significado de que o Espírito seria derramado sobre os homens de todas as línguas, para demonstrar que o Evangelho de Deus seria proclamado em todas as línguas existentes sobre a Terra. Portanto o que aconteceu, aconteceu com esse significado e passou"Estaria Santo Agostinho errado?

13) Que Santos a RCC tem como referência para embasar a questão da necessidade do Cristão em ter uma “experiência pessoal com Cristo”? Que santos defendiam a fé experiência sensorial?


14) A contaminação da Gnose na doutrina carismática é facilmente perceptível. Veja a declaração de um frei carismático, Dave Schwrz:"Quando você estiver orando depois de ter recebido a Comunhão, eu sugiro que você visualize raios luminosos de cura saindo da hóstia consagrada que você acabou de receber e fluindo através de todo o seu ser"...Este ensinamento tem ou não tem cheiro e gosto de esoterismo?

15) O Movimento Carismático estimular práticas heterodoxas, anômalas a fé católica, apesar disto ainda assim recebe o apoio de um número não pequeno do clero, em sua grande maioria modernista filhos do CVII. Todavia a Igreja indefectível não apóia estas práticas, pelo contrário as condena, pois sabiamente entende que a busca ávida pelo sobrenatural só pode pôr em risco as almas de seus praticantes. Paradoxalmente quem apóia integralmente os conceitos carismáticos de dons extraordinários e sua suposta importância são os protestantes. Como responder a esta crítica?

16) Os carismáticos alegam que a RCC não pode ser má, pois os seus testemunhos falam por si só: as histórias das pessoas que mudaram de vida, que ganharam um ardor religioso são inúmeras. Então como ela pode ser mal, árvore má não pode dar bons frutos. Mas analisando objetivamente este argumento logo se chega a conclusão de que este é muito fraco, pois o mesmo dizem os protestantes. Não são poucos os casos de mudanças de vida, de curas e de libertação de vícios, pessoas que passaram a ler a Bíblia, estas histórias são muito comuns em qualquer seita protestante de beira de esquina. Existem até mesmo relatos de pessoas que desistiram do suicídio graças ao Espiritismo, nem por isso o Protestantismo ou o Espiritismo são certos. Se fossemos seguir este raciocínio seriamos forçados a dizer que os grupos de auto ajuda como os AAs da vida são também guiados pelo Espírito Santo. Então, o Protestantismo ou Espiritismo são inspirados e guiados por Deus também?

17) Os carismáticos gostam de sofismar dizendo que a RCC e Igreja Católica são as mesmas coisas. Quando não, dizem que a Igreja precisa da RCC, quando é exatamente o contrário. A RCC é mais um grupo entre dezenas de outros que existe na Igreja, mas os carismáticos defendem a RCC como se ela fosse o futuro iminente da Igreja e que logo toda a Igreja tornasse-a carismática. (Deus que nos livre disto!). Em que documento oficial da Igreja vocês se apóiam para dizer tamanho absurdo? Se assim fosse a Igreja não teria a obrigação de confirmar isto?

18) Todas as pseudas religiões e seitas têm suas práticas sobrenaturais: o Budismo, o Hinduismo, o Espiritismo, o Protestantismo e agora os católicos também estão experimentando sua dose de misticismo. Muitos encaram estes fatos sobrenaturais como um sinal da ação da divindade em todos as confissões e nisto muitos são enganados devido o fascínio que o sobrenatural exerce sobre as mentes humanas. Não estariam a RCC vulgarizando a fé católica e estimulando o sincretismo?


19) Os carismáticos são conhecidos por não gostar de usar muito a razão ((assim alertou João Paulo II em 1998 aos carismático tomarem cuidado com o Fideismo e lhes indicou que estudassem a encíclica –Fides et Ratio-)) substituindo-a pelo sentir e ao mesmo tempo acusam os católicos mais conservadores de racionalistas. O Racionalismo é condenado pela Igreja, mas o Racionalismo é diferente de usar a razão harmonizada com a fé, pois fé-razão=loucura para (RCC). Foi Nosso Senhor que ensinou: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento” (Luc 10.27). Por que os carismáticos negligenciam a razão?

20) Este poucos carismáticos sabem: o CIC no número 1302 explica os efeitos do Sacramento da Crisma:Da celebração ressalta que o efeito do sacramento da Confirmação é a efusão especial do Espírito Santo, como foi outorgado outrora aos apóstolos no dia de Pentecostes.Por isso, a confirmação produz crescimento e aprofundamento da graça batismal:— enraíza-nos mais profundamente na filiação divina, e nos faz dizer "Abba, Pai" (Rm 8,15);— une-nos mais solidamente a Cristo;— aumenta em nós os dons do Espírito Santo;— torna mais perfeita nossa vinculação com a Igreja— dá-nos uma força especial do Espírito Santo para difundir e defender a fé pela palavra e pela ação, como verdadeiras testemunhas de Cristo, para confessar com valentia o nome de Cristo e para nunca sentir vergonha em relação à cruz.Onde está o famoso "batismo no(do) espírito"??? É o Sacramento da Confimação que plenifica os Dons recebidos no Bastimo, não o "batismo no(do) espírito". A doutrina carismatica não é ensinamento católico, mas invenção dos e protestantes do século XVIII. Então, devemos seguir a Doutrina oficial e infalível da Igreja ou nos deixar nos levar por osmoses doutrinarias oriundas de hereges?


Texto - Enoque Dias

Resposta a um carismático meio pertubado

Resposta

Caro Luciano

Embora você não acredite, eu só quis te ajudar, mas sua mente foi condicionada demais para conseguir ver verdade.VERDADE, tenho certeza que você já ouviu falar desta palavra, mas você saberia defini-la:Verdade é a correspondência entre a idéias que fazemos de um ser e este próprio ser.O homem não pode criar a verdade ele apenas pode conhecê-la e uma vez aderindo a ela, pode se libertar da perversão da verdade chamada, mentira.” conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”(S. João 8.32)E qual é a verdade da RCC??? A heresia. Eu não criei esta verdade ela existe por si só, ela está na origem da RCC, em suas idéias, em suas práticas, nos sacrilégios nas Missas, etc.Você é até moderado, pois em seus textos deixou claro que RCC e Igreja não são sinônimos. Digo isto porque conversei com muitos carismáticos alienadas que diziam ser a RCC a própria Igreja ou o seu futuro iminente. Eles acreditavam, em outras palavras, em uma nova igreja que começou a nascer em 1967 e que será o futuro iminente da Igreja Católica Apostólica Romana. Eles vislumbram uma igreja sem dogma, sem Tradição, uma igreja do amor

Você fala de bons frutos e eu te pergunto quais? Seria: a oração em língua babélica?O repouso no espírito? As curas interiores? O baile no espírito? A oração do monte? Seriam as missas-shows-da-xuxa???A este respeito em particular, você acha que guitarras, baterias, violões, etc são instrumentos corretos, coerentes para serem entoados durante a Renovação do Calvário? No Sacrifício da Nova e Eterna Aliança? Ou você acha que isso também é uma questão de ” tradicionalismo”. Pense nisto.Embora você seja ainda muito jovem e inexperiente, sinceramente, não vi você expor idéias muito católicas em seus posts. Nosso Senhor disse aos Apóstolos: Ide e ensinais... O que o Carismatismo está te ensinando: Que os homens já nascem “carismáticos” antes mesmo do Batismo? Que Tradição é sinônimo de preceitos humanos descartáveis?Que a Igreja inspirou-se em grupos heréticos na Idade Média?Seriam suas experiências irracionais, pseudo- espirituais?Ou o seu linguajar protestantesco: “derramamento no espírito” (estaria o Espírito santo vazando por aí?).

Você dá o exemplo da massiva adesão dos jovens ao Carismatismo, como um exemplo benéfico da RCC. Cabe aqui algumas reflexões:Na Igreja de Cristo não havia jovens antes da RCC? A Igreja precisa dos Jovens ou os Jovens precisam da Igreja? A RCC fez a Igreja crescer ou inchar? O que farão os jovens carismáticos quando o Santo Padre instaurar novamente a Missa segundo o rito Tridentino?Você talvez não entenda, mas a fé é herdada dos pais, os católicos recebem a fé da Igreja como legado através do Batismo, se estes pais negligenciam o ensinamento religioso ao seus filhos isto é culpa deles, não da Igreja.Portanto Luciano, a Igreja sempre desempenhou se papel de pastorear as almas com ou sem a RCC. Pelo contrário, a RCC só está atrapalhando ou promover a protestanização dos católicos. Mas, você deve está se perguntando: Será que este fariseu do Enoque não vê nada de positivo na RCC?E eu te respondo: Claro que vejo, se não tivesse, não teria enganado tanta gente. Todos os grupos religiosos sectários têm bens aparentes e até relativos, mas estes bens servem unicamente para enganar um número maior de pessoas. Os Espirituais que você citou demonstravam uma tal piedade que confundiu muitos clérigos da Igreja e protelou a sua condenação oficial.

Então, eu retribuo a pergunta com outra pergunta: Você beberia a água onde alguém pôs uma gota e água de esgoto? Não se engane; a gota de água suja não conferiu nem gosto nem odor à água. A sua resposta seria: “claro que não beberia, pois á água estria contaminada e eu devo proteger a minha saúde”.E olha que a RCC quis contaminar água puríssima da fé católica com muito mais de uma gotinha.Além do mais Luciano, se fôssemos analisar a RCC pelo número de jovens que ela atrai e com isso concluir que ela é boa, teríamos forçosamente que admitir o Protestantismo como certo.Você diz ser errado julgar, mas não hesita em me chamar de ”fariseu”, julgando-me como um hipócrita preso à preceitos meramente humanos.Aprenda mais essa:” Não julgueis pela aparência, mas julgai conforme a justiça.” (S. João 7.24)

Em outras palavras Nosso Senhor condenou o julgamento temerário como você fez comigo. E todas as vezes que Cristo diz para não julgarmos Ele está se referindo aos julgamentos injustos. Se não fosse assim, o que seria dos juízes de direito.Você quer tratar de conceitos que nem ao menos sabe definir. Tradição , por exemplo, você não sabe o que é ou te enganaram a respeito. Vou te ajudar neste caso e para isso usarei a definição de um perito na matéria:”Tradição não são costumes legados pelo passado e conservado por fidelidade a este, mesmo na ausência de razões claras. A Tradição se define como o Depósito da fé transmitido pelo Magistério de século em século”Por isso que eu sempre pergunto (e ninguém responde) onde estão as bases das idéias e praticas da RCC. Não sou como você coloca tradicionalista, no sentido pejorativo do termo, sou um cristão católico que leva em consideração o Magistério da Igreja e seu legado. Sou um católico que não troca um tesouro da Igreja por cavalo de tróia feito de madeira.Mas se eu fosse me definir em quanto católico eu usaria as palavras de Bento XVI, então Cardeal Ratzinger:

"A Fé católica é de tal índole e natureza, que não se pode acrescentar-lhe nem tirar-lhe nada; ou se professa por inteiro, ou se recusa por inteiro [...]. Não há, pois, necessidade de adicionar qualificativos para significar a profissão católica; basta a cada um esta profissão: Cristão é meu nome. Católico, meu sobrenome”Quanto ao que você disse de eu está me escondendo, mas uma vez você confunde as coisas. Não estou me escondendo, meu nome é Enoque Dias, não é um pseudônimo, não se expor, não é o mesmo que se esconder. Já você, se expõe que é uma beleza.Outra coisa, não é um exterminador, é o Homem de Ferro. Não se preocupe Luciano, se você que viver na matrix, tudo bem, não vou mais interrompeu o seu sonho carismático. Este é a última mensagem que te mando. Se quiser ser ajudado, leia os textos da comunidade RCC – Renovação ou Revolução?.Que Deus te ilumine.

ERRATA: onde eu escrevi, nas mensagens anteriores, João II leia-se João XXII

Resposta feita por Enoque Dias

Do Pentecostalismo a Apostasia


John Vennari


O Concílio de Trento definiu dogmaticamente que sem a Fé Católica, "é impossível agradar
a Deus." (1) A Igreja Católica também definiu ex cathedra, que só há uma verdadeira
Igreja de Cristo, a Igreja Católica, fora da qual não há nenhuma salvação. (2)
Papa Leão XIII, explicitando o ensinamento sobre este ponto, ensinou:
" Desde que a ninguém é permitido ser negligente no serviço devido a Deus ….
somos absolutamente obrigados a adorar Deus da maneira que Ele mesmo mostrou
que deseja ser adorado … Não deve ser difícil descobrir qual é a religião verdadeira
se esta é procurada com uma mente imparcial e sincera; as provas são abundantes
e evidentes …. De todas estas [provas] é evidente que a única religião verdadeira é
a estabelecida por Jesus Cristo mesmo, e Ele encarregou à Sua Igreja de proteger
e propagar esta fé." (3)

continuação desse texto nesse link - http://www.capela.org.br/Crise/carismatico2.pdf

domingo, 17 de junho de 2007

A MISSA DO PADRE PIO




Recebi há pouco esta entrevista do Padre Pio e não pude deixar de publicá-la, tamanha a grandeza do que ele viveu nessas missas que se tornaram famosas em todo o mundo. Que nossos fiéis e leitores amigos possam tirar dessas palavras um caminho para melhor assistir a sua missa. Queria acrescentar aqui um pequeno comentário: onde fica, depois de se ler esta pungente entrevista, a missa alegrinha dos carismáticos? Que distância entre esta descrição de um verdadeiro Sacrifício realizado no altar, e os shows mundanos, sentimentais e mediáticos dessa nova religião de Vaticano II.


Padre, o Sr. ama o Sacrifício da Missa?
Sim, porque Ela regenera o mundo.

Que glória dá a Deus a Missa?
Uma glória infinita.

Que devemos fazer durante a Missa?
Compadecer-nos e amar.

Padre, como devemos assistir à Santa Missa?
Como assistiram a Santíssima Virgem e as piedosas mulheres. Como assistiu S. João Evangelista ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrifício cruento da Cruz.

Padre, que benefícios recebemos ao assistir à Santa Missa?
Não se podem contar. Vê-lo-ás no céu. Quando assistires à Santa Missa, renova a tua fé e medita na Vítima que se imola por ti à Divina Justiça. Não te afastes do altar sem derramar lágrimas de dor e de amor a Jesus, Crucificado por tua salvação. A Virgem Dolorosa te acompanhará e será tua doce inspiração.

Padre, que é sua Missa?
Uma união sagrada com a Paixão de Jesus. Minha responsabilidade é única no mundo. (Dizia-o chorando.)

Que devo descobrir na sua Santa Missa?
Todo o Calvário.

Padre, diga-me tudo o que o senhor sofre durante a Santa Missa?
Sofro tudo o que Jesus sofreu na sua Paixão, embora sem proporção, só enquanto pode fazê-lo uma criatura humana. E isto, apesar de cada uma de minhas faltas e só por sua bondade.

Padre, durante o Sacrifício divino o senhor carrega os nossos pecados?
Não posso deixar de fazê-lo, já que é uma parte do Santo Sacrifício.

O senhor considera a si mesmo um pecador?
Não o sei, mas temo que assim seja.

Eu já vi o senhor tremer ao subir aos degraus do altar. Por quê? Pelo que tem de sofrer?
Não pelo que tenho de sofrer, mas pelo que tenho de oferecer.

Em que momento da Missa o senhor sofre mais?
Na Consagração e na Comunhão.

Padre, esta manhã na Missa, ao ler a história de Esaú, que vendeu os direitos de sua primogenitura, seus olhos se encheram de lágrimas?
Parece-te pouco desprezar o dom de Deus!?

Por que, ao ler o Evangelho, o senhor chorou quando leu estas palavras: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue...”
Chora comigo de ternura!

Padre, por que o senhor chora quase sempre que lê o Evangelho na Missa?
A nós nos parece que não tem importância que um Deus fale às suas criaturas e elas O contradigam e continuamente O ofendam com sua ingratidão e incredulidade.

Sua Missa, Padre, é um sacrifício cruento?
Herege!

Perdão, Padre, quis dizer que na Missa o Sacrifício de Jesus não é cruento, mas a sua participação em toda a Paixão o é. Engano-me?
Não, nisso não te enganas. Creio que tens toda a razão.

Quem lhe limpa o sangue durante a Missa?
Ninguém.

Padre, por que o senhor chora no Ofertório?
Queres saber o segredo? Pois bem: porque é o momento em que a alma se separa das coisas profanas.

Durante sua Missa, Padre, o povo faz um pouco de barulho...
Se estivesses no Calvário, não ouvirias gritos, blasfêmias, ruídos, e ameaças? Havia um alvoroço enorme.

Não o distraem os ruídos?
Em nada.

Padre, por que sofre tanto na Consagração?
Não sejas maldoso... (Não quero que me perguntes isso...)

Padre, diga-me: por que sofre tanto na Consagração?
Porque nesse momento se produz realmente uma nova e admirável destruição e criação.

Padre, por que chora no altar, e que significam as palavras que pronuncia na Elevação? Pergunto por curiosidade, mas também porque quero repeti-las com o senhor.
Os segredos do Rei Supremo não podem revelar-se nem profanar-se. Pergunta-mes por que choro, mas eu não queria derramar essas pobres lagrimazinhas, mas torrentes de lágrimas. Não meditas neste grandioso mistério?

Padre, o senhor sofre, durante a Missa, a amargura do fel?
Sim, muito freqüentemente...

Padre, como pode estar-se de pé no Altar?
Como estava Jesus na Cruz.

No altar, o senhor está pregado na Cruz, como Jesus no Calvário?
E ainda me perguntas?

Como se acha o senhor?
Como Jesus no Calvário.

Padre, os carrascos deitaram a Cruz no chão para pregar os cravos em Jesus?
Evidentemente.

Ao senhor também lhos pregam?
E de que maneira!

Também deitam a Cruz para o senhor?
Sim, mas não devemos ter medo.

Padre, durante a Missa o senhor pronuncia as Sete Palavras que Jesus disse na Cruz?
Sim, indignamente, mas também as pronuncio.
E a quem diz: “Mulher, eis aí teu filho”?
Digo para Ela: “Eis aqui os filhos de Teu Filho”.

O senhor sofre a sede e o abandono de Jesus?
Sim.

Em que momento?
Depois da Consagração.

Até que momento?
Costuma ser até a Comunhão.

O senhor diz que tem vergonha de dizer: “Procurei quem me consolasse e não achei”. Por quê?
Porque nossos sofrimentos de verdadeiros culpados não são nada em comparação com os de Jesus.

Diante de quem sente vergonha?
Diante de Deus e da minha consciência.

Os Anjos do Senhor o reconfortam no Altar em que o senhor se imola?
Pois... não o sinto.

Se não lhe vem o consolo até à alma durante o Santo Sacrifício, e o senhor sofre, como Jesus, o abandono total, nossa presença não serve para nada.
A utilidade é para vós. Por acaso foi inútil a presença da Virgem Dolorosa, de São João e das piedosas mulheres aos pés de Jesus agonizante?

Que é a Sagrada Comunhão?
É toda uma misericórdia interior e exterior, todo um abraço. Pede a Jesus que se deixe sentir sensivelmente.

Quando Jesus vem, visita somente a alma?
O ser inteiro.

Que faz Jesus na Comunhão?
Deleita-se na sua criatura.

Quando se une a Jesus na Santa Comunhão, que quer peçamos a Deus pelo senhor?
Que eu seja outro Jesus, todo Jesus e sempre Jesus.

O senhor sofre também na Comunhão?
É o ponto culminante.

Depois da Comunhão, continuam seus sofrimentos?
Sim, mas não sofrimentos de amor.

A quem se dirigiu o último olhar de Jesus agonizante?
À sua Mãe.

E o senhor para quem olha?
Para meus irmãos de exílio.

O senhor morre na Santa Missa?
Misticamente, na Sagrada Comunhão.

É por excesso de amor ou de dor?
Por ambas as coisas, porém mais por amor.

Se o senhor morre na Comunhão, continua a ficar no Altar? Por quê?
Jesus morto permanecia pendente da Cruz no Calvário.

Padre, o senhor disse que a vítima morre na Comunhão. Colocam o senhor nos braços de Nossa Senhora?
Nos de São Francisco.

Padre, Jesus desprega os braços da Cruz para descansar no Senhor?
Sou eu quem descansa n’Ele!

Quanto ama a Jesus?
Meu desejo é infinito, mas a verdade é que, infelizmente, tenho de dizer nada e me causa pena.

Padre, por que o senhor chora ao pronunciar a última palavra do Evangelho de São João: “E vimos sua glória como do Unigênito Pai, cheio de graça e de verdade”?
Parece-te pouco? Se os Apóstolos, com seus olhos de carne, viram essa glória, como será a que veremos no Filho de Deus, em Jesus, quando se manifestar no céu?

Que união teremos então com Jesus?
A Eucaristia nos dá uma idéia.

A Santíssima Virgem assiste à sua Missa?
Julgas que a Mãe não se interessa por seu Filho?

E os Anjos?
Em multidões.

Padre, quem está mais perto do Altar?
Todo o Paraíso.

O senhor gostaria de celebrar mais de uma Missa por dia?
Se eu pudesse, não quereria descer do Altar.

Disseram-me que traz com o senhor o seu próprio Altar...
Sim, porque se realizam estas palavras do Apóstolo: “Eu trago no meu corpo os estigmas de Jesus”. “Estou cravado com Cristo na Cruz.” “Castigo o meu corpo, e o reduzo à escravidão...”

Nesse caso, não me engano quando digo que estou vendo Jesus Crucificado!
(Nenhuma resposta)

Padre, o senhor se lembra de mim na Santa Missa?
Durante toda a Missa, desde o princípio até o fim, lembro-me de ti.

A Missa do Padre Pio, em seus primeiros anos, durava mais de duas horas. Sempre foi um êxtase de amor e de dor. Seu rosto estava inteiramente concentrado em Deus e cheio de lágrimas. Um dia, ao confessar-me, perguntei-lhe sobre este grande mistério:

Padre, quero fazer-lhe uma pergunta?
Dize-me, filho.

Padre, queria perguntar-lhe que é a Missa?
Por que me perguntas isto?

Para ouvi-la melhor, Padre.
Filho, posso dizer-te que é a minha Missa.

Pois é isso o que quero saber, Padre.
Meu filho, estamos na Cruz, e a Missa é uma contínua agonia.

Tirada de Tradition Catolica, nº 141, nov. 98 citando "Assim Falou o Padre Pio" (S. Giovanni Rotondo, Foggia, Itália, 1974) com o Imprimatur de D. Fanton, Bispo Auxiliar de Vicenza.

Observe, a CEGUEIRA dos carismáticos.




Veja a contradição, que encontrei no site de uma comunidade da R.C.”C”.
http://www.comunidadeshalom.org.br/formacao/igreja/padre_pio_e_a_missa.html


Como pode publicar no site, a entrevista do Santo Padre Pio, se não obedecem aos ensinamentos em relação ao Santo Sacrifício da Santa Missa que ele nos ensina.

Está CEGUEIRA é característica dos “pentecostais”.
É só observar o Edir Macedo, que foi denunciado pelo ministério publico, foi condenado, denunciado em rede nacional de televisão, e a seita a qual é o fundador continua lotada, crescendo a cada dia mais.
Um exemplo recente são dos pseudos pastores da renascer, que hoje estão presos no EUA, e já foram condenados pela justiça desse país, e a seita deles continuam cheia de adeptos.

O Senhor Jesus Cristo disse:
Deixai-os; são condutores cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova. Mateus 15:14

Observe uma pequena parte desta entrevista


Padre, como devemos assistir à Santa Missa?
Como assistiram a Santíssima Virgem e as piedosas mulheres. Como assistiu S. João Evangelista ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrifício cruento da Cruz.









Veja como os carismáticos se comportam no Santo Sacrifício da Santa Missa:


A Virgem Imaculada Maria, e São João Evangelista estavam dançando ou simulando danças durante o Santo Sacrifício ?

Estavam batendo palmas?

Estavam fazendos outras e diversas profanações que os carismáticos costumam fazer durante o Santo Sacrifício?




SOMENTE CEGO PARA NÃO VER A VERDADE!

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. João 8:32

sábado, 16 de junho de 2007

Uma carta simples, à um amigo carismático.

Caro amigo, que nosso Senhor Jesus Cristo esteja contigo.

Antes, queria reprisar uma frase que você me disse, lá no bairro 31 de março, daquele encontro inesperado.

Se eu não me engano foi mais ou menos assim:

“Devemos acima de tudo ser Católico Apostólico Romano, porque os movimentos tiveram como fundador, um "homem" para ser iniciar e a Igreja teve Jesus Cristo como fundador”.

Como você já sabe, passei um grande período da minha vida no movimento carismático, até então pensava que eu era o Máximo, procurava defender o movimento a todo custo, comprava vários livros, um livro novo que ia sair eu já estava lá comprando até ficava conhecido pelos donos das livrarias e vendedores.

Só tinha visão para os livros carismáticos, só para as pregações carismática, tudo era carismático, até meus amigos. Por isso me fechava a visão, de aprender a doutrina Verdadeira da Igreja. Quando fui conhecer,a Verdadeira e Santa Doutrina da Igreja, sem deturpações, comecei a perceber o que eu tinha aprendido na R..C “C”, era puro pentecostalismo protestante infiltrado dentro da Igreja Católica para podêr destruí-lá.

Uma das coisas que, mas me arrependo e peço para Deus me perdoar foi durante as missas carismáticas uma pura profanação ao nosso Deus, que aberração, meu Deus!

Se hoje eu for, numa seita pentecostal que cospem todo ódio a Maria Santíssima, e a Jesus Sacramento. Seria mesma coisa que for num grupo carismático, mas com uma forma disfarçada de catolicismo.

Vou lhe da um exemplo dos vários ensinamentos protestantes ensinados no meio Carismático também não tem como não ensinar o protestantismo, pois o Pai da R.C “C” é o protestantismo, foi da onde surgiu o movimento carismático.

Heresia do Padre Jonas "A Bíblia se explica por si mesma”. No livro A Bíblia no meu dia-a-dia, pe. Jonas Abib, tem a seguinte frase "A Bíblia se explica por si mesma”. A frase do padre Jonas Abib é herética, pois a legítima interpretação da Bíblia só pode ser dada pelo Magistério da Igreja. Contra esse erro do padre Jonas, diz o concílio de Trento: "786. Ademais, para refrear as mentalidades petulantes, decreta que ninguém, fundado na perspicácia própria, em coisas de fé e costumes necessárias à estrutura da doutrina cristã, torcendo a seu talante a Sagrada Escritura, ouse interpretar a mesma Sagrada Escritura contra aquele sentido, que [sempre] manteve e mantém a Santa Madre Igreja, a quem compete julgar sobre o verdadeiro sentido e interpretação das Sagradas Escrituras, ou também [ouse interpretá-la] contra o unânime consenso dos Padres, ainda que as interpretações em tempo algum venham a ser publicada”. O que disse o padre Jonas também é contra o bom senso, pois se a Bíblia se explica por si mesma, porque então existem mais de 30.000 denominações protestantes que discordam umas das outras na interpretação da Bíblia?

Não esqueça meu irmão na fé, devemos ser Católicos Apostólicos Romano, devemos aprender os ensinamentos dos Santos Doutores da Igreja, não devemos ficar meio Católico e meio protestante. Porque o protestantismo veio destruir a obra de Deus, e desviar os Católicos da sã doutrina da Salvação.

Uma boa semana cheia de caridade e conversão.

Padre carismático, Jonas Abib ensina a rezar....

Padre carismático, Jonas Abib ensina orar em língua.

Os líderes da RCC ensinam que rezar em línguas estranhas é um dom (carisma), mas se for mesmo um dom ou carisma como pode ser ensinado???


A oração em línguas estranhas da RCC é um dom ou uma habilidade? Não importa o que seja, dom, carisma ou habilidade, o blá blá, blá carismático é um engodo, uma das coisas mais ridículas já inventada pelo Modernismo.



Vejam com seus próprios olhos:
http://www.youtube.com/watch?v=IJtF8-Hj_zE


A uma verdadeira e a falsa mística, pois não foram como os santos que a RCC aprendeu a falar seu blá, blá, blá, mas foi com os hereges protestantes.

Isso sem comentar o "shambala", que este sacerdote pronuncia, citados nas postagens anteriores

Texto retirado da com. do orkut renovação ou revolução?

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Padre Jonas Abib e o abortista Geraldo Alckmin


Outro fato sem discernimento (ou um dom extraordinário que o ajuda-se) do Padre Jonas Abib, mais por respeito humano por ter adquirido terras de modo suspeita , que leva desmacarar também a mentira que movimento carismático que se diz pleno do Espírito Santo, com o apoio ao candidato da republica Geraldo Alckmin que é a favor do aborto.Veja o que escreve a Montfort , com justa ação católica de consciência contra o aborto, do que diz o candidato: “ O apelo para que sua posição a respeito do aborto seja revista tem origem do noticiário divulgado pela imprensa, dando conta de que V. Excia manifestou sua concordância com a atual legislação no que se refere à pratica do aborto, ou seja, a permissão do aborto nos casos de estupro ou perigo de vida para a mãe, e pior, o desejo da ampliação dessa permissão para os casos de anencefalia. (Folha de São Paulo 18/12/2005 e Revista Veja, ed. 1. 948, 22 de março de 2006 ‘ A aposta tucana’)"."Geraldo, parabéns porque você é gente, acima de tudo. Teve família, teve raízes. Que você seja o homem público de que o Brasil está precisando, com raízes profundas na família", trechos da fala de Padre Jonas.

O pior que em minha casa recebir, os panfletos com os candidatos tucanos e o Padre Jonas Abib trocando elogios.

E também a Igreja não e partidária, a missão dela e evangelizar as almas, e não tomar partidor de um “tal” candidato. O dever do sacerdote e instruir o fiel a não votar em canditatos que ferem a doutrina Católica. Como fez a CNBB, que distribuiu uma cartilha indicando a característica dos candidatos que não devemos votar. (os que ferem os ensinamento da Santa Igreja Católica).
A Igreja como mãe não pode bajular um filho e rejeitar o outro, e sim abraçar os dois, e se um deles estiver no erro o dever dela e corriligi-lo e orar pela conversão dele.
CIC 2442 – Não cabe aos pastores da Igreja intervir diretamente na construção política e na organização da vida social. Essa tarefa faz parte da vocação dos fies leigos, que agem por própria iniciativa com seus concidadãos. A ação social pode implicar uma pluralidade de caminhos concretos. Terá sempre em vista o bem comum e se conformara com a mensagem evangélica e com a doutrina da Igreja. Cabe aos fies leigos “animar as realidades temporais com um zelo
cristão e comportar-se como artesão da paz e da justiça”. Leia também o CIC 2245-2246.
CIC 2272-( a cooperação formal para um aborto constitui um falta grave...).

Tem outros documentos que poderia também citar.



E para lembrar o Geraldo Alckmin, apóia a união civil de homossexual.

Você é capaz de acertar está?







Você é capaz de acertar, se esta foto acima é um encontro protestante ou "católico"?

E agora? Aconteceu em encontro protestante ou "católico"?

Uma postagem do sitio, 24 de novembro deste ano, da secular da Globo que chamou-me bastante atenção uma dúvida de uma notável falta de coerência da viagem de Bento XVI ao Brasil. É a expectativa de Bento XVI diminua a ida de pessoas ao pentecostalistmo, com sua visita ao País esperada para o ano que vem; mas que demonstra outra realidade que demonstrarei mais adiante.
No quinto parágrafo diz assim: “De acordo com o senso de 2000, cerca de 16 por cento dos 186 milhões de habitantes do País se identificam como pentecostais”.
No parágrafo seguinte, o sexto, diz sobre outra pesquisa, mais recente, que metade são de pentecostais protestantes ou carismáticos da Igreja Católica.
Mas ao colocar o movimento herético dos carismáticos, este texto coloca, com consciência ou não, a R.C.C. do mesmo problema das seitas pentecostais que se espera que diminua com a visita do Papa. Ou seja, espera-se que se converta também o movimento carismático que o Globo demonstra que é pentecostal...
A mensagem é que a R.C.C. não leva conversão a Igreja? Ambigüidade conciliar? Erro da autora ao citar este movimento? Fonte da C.N.B.B, não muito simpatizante ao movimento publicamente, ao texto? A Globo tem consciência que a R.C.C. é pentecostal? Coincidência somente no texto?
Eu posso somente concluir claramente, com certeza, da existencial falta de identidade católica deste movimento pentecostal dentro da Igreja Católica. Porque é fenômeno que demonstra que, até na escrita, fica difícil de encontrar coerência de ligar a R.C.C. como um movimento realmente católico. É que se pode concluir realmente.
Por ironia ou não, enfim, eles demonstram uma realidade que conseqüentemente, repito, que é um movimento herético que precisa realmente se converter que a Tradição também tem a mesma opinião.
As seitas pentecostais crescem como praga e nem o erro pentecostal lançado do Vaticano II está longe de ser uma solução católica. Isto sim que é uma coerência de fato, porém nem todos
...

domingo, 10 de junho de 2007

+ uma do Padre Marcelo Rossi



Padre Marcelo Rossi, contra a língua oficial da Igreja, o Latim na Liturgia.


Ele recomendou que algumas missas especiais sejam rezadas com trechos em latim. O que acha?


Fantástico. Mas, sinceramente, não contem comigo para rezar esse tipo de missa. Estudei latim e hebraico e, por incrível que pareça, sei mais o hebraico, porque eu dormia na aula (risos)! O professor era terrível e, se a gente não pratica, esquece. Se me mandarem falar latim, vou fazer: “Au, au, au!”




Padre Marcelo contra o canto oficial da Igreja o “canto gregoriano”.


O papa tem uma visão conservadora da liturgia, contrastando com o despojamento das missas que o senhor celebra. Como vê isso?

Você viu que a queda (do número de fiéis) na Igreja Católica parou e o número de jovens aumentou? Não vou dizer que sou eu, mas ajudamos nisso. Faço missas lotadas aos domingos e, à tarde, faço a Discoteca de Jesus (celebração em que as músicas religiosas são mixadas com ritmos modernos). Você não acredita no número de jovens que está participando. E o papa tem respeito profundo por todos os movimentos. A coisa mais linda na Igreja é a unidade na diversidade. Muitas vezes me confesso com um padre da Opus Dei, porque respeito. As pessoas têm que ter a cabeça aberta, inclusive para a música. Acho canto gregoriano fantástico, mas não vou chegar no Santuário cheio e começar: (imita o canto gregoriano) “Quiriêê”. As pessoas iriam dormir!


Aberração desse sacerdote.

Faço missas lotadas aos domingos e, à tarde, faço a Discoteca de Jesus (celebração em que as músicas religiosas são mixadas com ritmos modernos).


Só falta este sacerdote criar boate de " * ".
" * ", por respeito ao nosso Deus.

"au au" quando sua Santidade mandar celebrar a missa em latim, quando for celebrar a missa de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo ? Vai celebrar a missa assim pra quem ? Para cães ou para o "cão" ???!!! ( frase de Artur thompson).


quinta-feira, 7 de junho de 2007

R.C."C". filha das seitas pentecostais protestante.

Estou deixando alguns videos, do ambiente completamente herético, de onde surgiu a R.C."C", ( do protestantismo pentecostal ).

Ninguém em sã consciência poderia dizer que estes video tem algo de Católico.


R.C."C", puro "pentecostalismo protestante".


http://www.youtube.com/watch?v=DrkjSeRdAN0


http://www.youtube.com/watch?v=ObiYN1hzfJ0&mode=related&search=


http://www.youtube.com/watch?v=bO9lLzrRS3g&mode=related&search=


http://www.youtube.com/watch?v=w5Xd5zY2yUs&mode=related&search=


http://www.youtube.com/watch?v=gKD5tltjnbw&mode=related&search

Dom de lingua


SUMA TEOLÓGICA VII
Para refletir!
Quem é, mas confiável, São Tomas de Aquino e Santo Agostinho santos doutores da Igreja,ou os hereges fundadores do pentecostalismo que blasfemam todo mal contra Jesus Eucarístico e a Virgem Santa Maria.
Artigo 1
O que possuía o dom das línguas falavaTodas as línguas?QUANTO AO PRIMEIRO ARTIGO ASSIM SE PROCEDE: parece que os que possuíam o dom das línguas, não falavam todas as línguas.1. Com efeito, o que é concedido pelo poder de Deus é o melhor em seu gênero; assim, a água que o Senhor converteu em bom vinho, como narra o Evangelho de João. Ora, os que tinham recebido o dom das línguas e exprimiam-se melhor em sua própria língua, como diz a Glosa: Não é de admirar que a carta aos Hebreus se distinga das outras por sua eloqüência, pois é natural que cada um se exprima melhor na sua própria língua que numa língua estrangeira.As outras cartas, o Apóstolo as escreveu numa língua estrangeira, isto é, em grego, ao passo que escreveu essa em hebraico, os Apóstolos não receberam, por graça grátis dada, o conhecimento de todas as línguas.__________________________________________________1 Parall.:Cont Gent.III,154;I ad Cor., c 14, lect. 1.1 . Lombardi:ML 192,400 C__________________________________________________(a). Estes dois pontos serão tratados sucessivamente nas duas questões seguintes. Sua situação no tratado dos carismas é evidente. Tomás é bem explícito a esse respeito: Os dons gratuitos são dados em vista da utilidade comum...Ora, o conhecimento que temos de Deus não poderia servir para outrem senão por meio do discurso.E como o Espírito Santo não omite nada do que é útil à igreja, ele também assiste os seus membros em seus discursos, não só para que eles sejam compreendidos por todos, o que cabe ao dom das línguas, mas ainda para que eles falem com eficácia, o que deriva da graça do discurso.
2. Além disso, a natureza não faz por muitos meios o que pode fazer por um só; e muito menos Deus, que opera mais ordenadamente que a natureza.Ora, Deus podia fazer com que seus discípulos fossem entendidos por todos, falando numa só língua.Por isso, a respeito daquelas palavras dos Atos dos Apóstolos “cada qual os ouvia falar em sua própria língua”, diz a Glosa:Porque falavam as línguas de todos ou, falando a sua própria, isto é, a hebraica, eram entendidos de todos como se falassem na própria língua de cada um dos ouvintes “. Logo, parece que não tiveram a ciência de falar todas as línguas”.3. Ademais, todas as graças derivam de Cristo para o seu corpo, que é a IGREJA, conforme se diz no Evangelho de João: ”De sua plenitude todos recebemos”. Ora, Cristo falou uma só língua; e os fiéis não falam agora mais do que uma língua. .Logo, parece que os discípulos de Cristo não receberam o dom das línguas para falar em todas elas.Em sentido contrário, diz –se nos Atos dos Apóstolos: “Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os impelia a que se exprimissem”. Uma Glosa de Gregório assim comenta: “O Espírito Santo apareceu sobre os discípulos em línguas de fogo e lhes deu o conhecimento de todas as línguas”.
RESPONDO.Os primeiros discípulos de Cristo foram escolhidos para percorrerem o mundo pregando a sua fé a todos, como se lê no Evangelho de Mateus: ”Ide e ensinai a todos os povos”. Ora, não era conveniente que aqueles que eram enviados para instruir os outros, precisassem ser instruídos por eles sobre a maneira de lhes falar ou de compreender sua linguagem.Sobretudo por que estes enviados eram da mesma nação, da Judéia como havia predito Isaías: Aqueles que sairão impetuosamente de Jacó encheram com sua raça a face da terra. Além disso, os discípulos enviados eram pobres e sem poder; eles não teriam encontrado facilmente, desde o começo, intérpretes fiéis para traduzir suas palavras ou lhes explicar as dos outros, principalmente por terem sido enviados a povos infiéis. Por esta razão, era necessário que Deus lhes viesse em socorro com o dom das línguas, a fim de que, como se havia introduzido a diversidade de línguas, quando os homens começaram a dar-se à idolatria, como se lê no livro de Gênesis, assim se desse o remédio a essa diversidade, quando tivessem que ser convertidos ao culto de um só Deus.(b)Quanto ao primeiro, portanto, deve-se dizer que na carta aos Coríntios “a manifestação do Espírito se dá para a utilidade da IGREJA”.Por isso, tanto Paulo como os outros apóstolos foram instruídos por Deus na língua de todas gentes, segundo o requeria o ensinamento da fé. Quanto a certas particularidades que se adquirem por esforço humano, como beleza e elegância de expressão, o apóstolo fora instruído na sua própria língua, e não numa língua estrangeira. Assim também, quanto à sabedoria e a ciência, os apóstolos foram instruídos por Deus tanto quanto requeria o ensinamento da f é, mas não em todas as coisas que se adquirem pelo estudo, como, por exemplo, as conclusões da aritmética ou da geometria.
Quanto ao segundo, deve –se dizer que, embora uma e outra coisa pudesse acontecer, a saber: ou que, falando uma só língua fossem compreendidos de todos ou que eles falassem as línguas de todos.Com tudo era mais conveniente esta segunda solução, porque tocava à perfeição de sua ciência, pois eles não só podiam falar, como também entender o que os outros diziam.Se todos entendessem a única língua dos pregadores, isto seria, ou pela ciência dos ouvintes, que podiam entender aos que falavam, ou seria uma ilusão, pois percebiam com seus ouvidos palavras muito diferentes daquelas que proferiam os que lhes falavam. Por isso diz a Glosa sobre: ”Maior milagre foi que eles falassem a língua de todos”. E Paulo diz: ”Dou graças ao meu Deus porque falo às línguas que todos vós falais”.Quanto ao terceiro, deve –se dizer que Cristo só pregou pessoalmente a uma única nação, a dos judeus, e, embora possuísse sem duvida perfeitissimamente a ciência da todas as línguas, não convinha que fizesse uso de todas elas.Por isso, diz Agostinho “Atualmente, todos recebem o Espírito Santo e, não obstante, não falam as línguas de todos, porque a Igreja já fala as línguas de todos os povos, e aquele que não pertence à Igreja não recebe o Espírito Santo”.(Cont.pág.558).
(b).Tomás examina aqui o dom feito aos apóstolos no dia de Pentecostes, de poder exprimir-se em línguas estrangeiras para serem compreendidos pelos diversos povos aos quais eles eram enviados. Seguindo uma imagem preferida pelos Padres da Igreja, ele faz do evento de Pentecostes o paralelo invertido do que se produzira no momento da construção da torre de Babel: o pecado dos homens acarretou na dispersão e a impossibilidade de se compreender, mas a vinda do Espírito de amor permite doravante superar esse obstáculo.

Alerta

Alerta


Se você já ouviu ou falou “shambalá” e ou “siriri...ririririri” em línguas estranhas então isto te diz respeito.
Shambalá é invocação do reino de satanás. Vide: movimesp.htm
Siriri é um demônio.
Como alguém que se diz de Cristo pode invocar estas línguas estranhas?
Vamos raciocinar juntos.
1- Porque nenhum membro da R.C.”C”. não revelou isto até agora? Se ainda existissem intérpretes na R.C.”C”, pelo dom do Espírito Santo certamente teriam revelado!
2- Se não existem mais intérpretes de línguas estranhas pelo dom do Espírito Santo dentro da R.C.”C” , a prova está acima que eles não existem na R.C.”C”.
3- A prova está acima que elas não existem na " R.C."C", segue que as pessoas falam línguas estranhas ou por imitação ou por dom de espíritos enganadores.
4- Se as pessoas falam por imitação elas são falsas.
5- Se as pessoas falam pelo dom de espíritos enganadores são enganadas.
6- Onde foram enganadas?
7- A maioria recebe o dom de línguas no dito “batismo do Espírito Santo”. Se o referido “batismo do Espírito Santo” produz línguas estranhas falsas é por que o batismo não foi do Espírito Santo.
8- O dom de falar em línguas é passado para outros por imposição de mãos, ou outro meio. (Rom 11: 16) “Se as primícias são santas, também a massa o é; e se a raiz é santa, também os ramos o são.” O inverso também é verdadeiro. Todo o grupo, formado à partir de uma pessoa que fala em línguas falsas, fala em línguas falsas.
E as primícias da R.C.”C”, também não são Santas pelo surgimento nas seitas protestantes.
9- Alguém poderia inferir: I. Cor. 2: 14 “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” Sim, tem muito que sabemos apenas por revelação divina o que também é o caso do fenômeno de línguas estranhas, mas a identificação do seu doador é perfeitamente discernível intelectualmente: I. Cor. 12: 3a “Portanto vos quero fazer compreender que ninguém, falando pelo Espírito de Deus, diz: Jesus é anátema!” Nesta passagem bíblica o inverso também é verdadeiro: Quem não fala pelo Espírito de Deus, invoca o reino de satanás e a demônios e, conseqüentemente, amaldiçoa a Jesus. O “fazer compreender” se faz com entendimento, com a mente.
10- Se você está envolvido nesta prática do engano se libertar pelo Senhor Jesus Cristo agora. Faça uma oração sincera do tipo: Senhor Jesus Cristo. Não me faça faltar nada que é do teu agrado e o que não provém de ti, em minha vida, retire agora neste instante.
11- Se você ainda não está envolvido, não te deixe enganar e advirta a outros, mandando uma cópia deste e-mail para a sua lista, “Porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão sinais e prodígios para enganar, se possível, até os escolhidos”. (Marcos 13: 22) e “Ouvi outra voz do céu dizer: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos sete pecados, e para que não incorras nas suas pragas”. (Apoc. 18:4).
E Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; mas se Baal, segui-o. O povo, porém, não lhe respondeu nada. (I. Reis 18: 21)

E você? Permanece calado, mesmo depois de convicto, por medo de perder prestígio?

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Padre Jonas Abib continua como sempre ensinando heresias protestantes para Católicos.


O que dizer de uma pregação como esta?http://www.cancaonova.com/portal/canais/pejonas/pejonas_msg_dia.php"Cristo morre na cruz e na cruz morre também todo nosso pecado. Portanto, não há mais nenhuma condenação sobre nós. Somente que somos nós que temos de aceitar e acolher nossa salvação. É como se alguém pagasse toda nossa dívida, que era enorme e impagável, e nosso nome, que antes estava sujo, ficasse limpo, porque não temos mais nenhuma condenação sobre nós. Nós precisamos apenas assumir e aceitar a salvação de Jesus, o resto Ele já fez por nós."

Partindo-se deste pressuposto...
- logo, não preciso ser batizado;
- logo, não preciso receber o sacramento da Confissão;
- logo, não preciso comungar na Santa Missa;
- logo, não preciso praticar as boas obras...

Que bom que basta dizer "Aceito Jesus" e eu já estou salvo!

E a gente achando que precisaria cumprir os 10 mandamentos!
O pecado morreu num madeiro com a morte de Jesus, então viva como alguém que foi e está salvo!


Seja EXCOMUNGADO!É o que o ensina e ou confirma o Infalível Concílio de Trento."916. Cân. 6. Se alguém negar que a CONFISSÃO SACRAMENTAL FOI INSTITUÍDA E É NECESSÁRIA PARA A SALVAÇÃO POR DIREITO DIVINO; ou disser que o modo de confessar em segredo, só ao sacerdote, que a Igreja desde o princípio sempre observou e ainda observa, é alheio à instituição de Cristo e não passa de invenção humana — seja excomungado [cfr. n° 899 s]."
"922. Cân. 12. Se alguém disser que Deus SEMPRE PERDOA toda a pena JUNTO COM A CULPA, e que a SATISFAÇÃO DOS PENITENTES NÃO É OUTRA COISA SENÃO A FÉ COM A QUAL CRÊEM TER CRISTO SATISFEITO POR ELES — seja excomungado [cfr. n° 904]."
Para um padre fazer tais afirmações, indo contra o que SEMPRE ensinou a Santa Mãe Igreja, isso é pra lá de grave.
Se for caso de "IGNORÂNCIA, DESCONHECIMENTO" por parte dele, é no mínimo lamentável, por outro lado, se for caso de DESOBEDIÊNCIA aos ensinamentos, realmente é caso de EXCOMUNHÃO!
Ninguém tem certeza de estar salvo.E o Catecismo ensina que é um pecado contra o Espírito Santo ter a presunção de salvação.
Rezemos pelo Cléro, peçamos a Deus que nos envie mais santos!Santos Pios V e X, Franciscos de Assis, Xavier e Sales, João Maria Vianey...roguem por nós.
texto - retirado do orkut da com. montfort.