segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

Mais Heresias... "Padre Jonas e Professor Felipe de Aquino"



Frase retirada do livro do prof. Felipe de Aquino:

“A grande maravilha que Deus está fazendo na sua Igreja, por meio da Renovação Carismática Católica, é renová-la no Espírito Santo. Quem não se fechar a essa chuva de graças poderá experimentar uma religião vivas, não ritualísticas, mecânicas, sem vida e sem sentido. Será um cristão novo, renovado” (AQUINO, Felipe. Sede Santos!... 2ªEd.Lorena: Cleofas, 1999, p.74).


Padre Jonas Abib, em um de seus livrecos, diz coisas tremendas sobre a Igreja, anterior a RCC, e depois qual é a missão da RCC em face da Igreja, como era antes.
Para o Padre Jonas a Igreja estava arruinada e, a bem dizer morta, pois Padre Abib afirma que a RCC veio para ressuscitar a Igreja. Ora, só ressuscita quem está morto.
Veja a loucura afirmada pelo Padre Jonas Abib:

“Ele [Jesus] agora, nestes tempos quer fazer muito mais. Graças a Deus, estamos apenas no começo da obra de ressurreição de nosso povo. O Senhor quer restaurar a sua Igreja. Não se trata de reformar, é muito mais do que isso é muito mais lindo! É restaurar” (...) "Restaurar é voltar ao original É devolver aquilo que infelizmente foi estragado" (Padre Jonas Abib, Reinflama o Carisma de Deus que Está em Ti “, Loylola, São Paulo, 1996, p.9. Os destaques são meus).

Então, minha cara irmã, é o Padre Abib, mestre de Felipe de Aquino, que afirma: a Igreja Católica está sendo restaurada como era no original, porque teria sido estragada.
Essa é a acusação protestante e de todos os hereges contra a Igreja.
Logo, ele afirma que a Igreja Católica perdera algo do que era, e isso vai contra o dogma, porque a Igreja é assistida por Cristo todos os dias, no decorrer da História, e ela não podem ser corrompidos.
E Padre Abib usa até uma palavra mais grave: diz que "nosso povo" este em fase de Ressurreição.
E Padre Abib aplica à Igreja a visão dos ossos ressequidos de Ezequiel, que profetiza a ressurreição dos corpos, no fim do mundo.
Logo, a Igreja estava morta. O povo católico, os membros Corpo Místico de Cristo, estavam mortos. E isso também é inaceitável.
Esses erros graves contra a Fé são repetidos pelo Padre Abib, nas páginas seguintes desse mesmo livro.
Por exemplo:

“O Senhor quer renovar a sua Igreja concreta, a Igreja Corpo de Cristo, a Igreja que o Senhor está ressuscitando, restaurando, levantando, fazendo dela um grandioso e poderoso exército" (Padre Jonas Abib, Reinflama o Carisma de Deus que Está em Ti “, Loylola, São Paulo, 1996, p.23. Os destaques são meus)”.

De novo, Padre Jonas reafirma que Deus está ressuscitando a Igreja.
Logo, para Padre Jonas a Igreja teria morrido, porque só ressuscita o que antes morreu. E isso é herético. A Igreja não pode morrer.
Padre Jonas diz ainda de modo ultrajante para a Igreja:

”A Igreja não está apenas suada, de tanto lutar neste mundo. Ela está cansada, caindo, de pés sujos. Porque a lama do mundo subiu pelos pés, pelas pernas, pelo corpo... A Igreja está precisando de uma boa chuveirada. A graça do derramamentodo Espírito Santo está aí para chuveirar a Igreja, para derramar a graça de Jesus, a graça do Pai, que é o Espírito santo na Igreja”.
"Nós temos a obrigação, diante de Deus e da Igreja, de levar esse derramamento do Espírito para todo o povo de Deus sem exceção" (Padre Jonas Abib, Reinflama o Carisma de Deus que Está em Ti “, Loylola, São Paulo, 1996, p.119. Os destaques são meus)”.

Padre Jonas Abib acusa a Igreja, em termos grosseiros, de estar enlameada, e que a RCC seria o novo "chuveiro" de graças, através do batismo no Espírito Santo, para limpar a Igreja.
Ora, os meios que Deus instituiu para difundir as graças são os sacramentos. E Padre Jonas Abib apresenta o derramamento do Espírito -- através do Batismo no Espírito Santo --- como o novo meio de difusão das graças. Isso faz do tal Batismo do Espírito um sacramento. E isso também é contra a doutrina ortodoxa.
Contraditoriamente, porém, noutra página, ele apresenta a RCC como o efeito do que Padre Jonas Abib chama de Ressurreição da Igreja:

"A Renovação Carismática Católica é o primeiro resultado da obra de restauração do Senhor. Não cremos que o Senhor vai restaurar toda a sua Igreja! Creia: o que o Senhor está fazendo em nós, Ele vai fazer em toda a Igreja. Somos a amostra do que o Senhor está realizando hoje na Igreja. Eu e você já somos o resultado disso".(Padre Jonas Abib, Reinflama o Carisma de Deus que Está em Ti “, Loylola, São Paulo, 1996, p.16. Os destaques são meus)”.

O que Padre Jonas afirma, aí, é que a Canção Nova é a semente de uma Nova igreja diversa daquela que ele diz enlameada, que teria morrido, e que estaria sendo ressuscitada.
Essa Nova Igreja, que estaria nascendo agora, seria a Igreja militarista herética, pois Padre Abib declara que está esperando -- como os protestantes -- a vinda de Jesus para reinar na terra já, já:

"Ele [Cristo] vem para governar este mundo, esta humanidade. Aquilo que pedimos no Pai-Nosso:” Venha nós o vosso reino “, e assim será feita a sua vontade, e o seu nome vai ser santificado" (Padre Jonas Abib, Reinflama o Carisma de Deus que Está em Ti “, Loylola, São Paulo, 1996, p.181. Os destaques são meus)”.

Isso é puro militarismo.

Haveria, minha cara irmã, muitos outros textos, confirmando que a Canção Nova considera que:

1 - a Igreja antiga estava enlameada, arruinada e a tal ponto que teria que ser ressuscitada, portanto que a Igreja estaria morta.

2 - Que a RCC é a Nova Igreja ressuscitada. Daí, Padre Abib dizer sem pejo:

"Posso dizer sem medo a Canção Nova é uma obra-prima de Deus" (Padre Jonas Abib, Canção Nova Uma Obra Prima de Deus - Nossa História, Identidade e Missão, Loyola 2.003, p.71).

3- Que Cristo está para vir e reinar neste mundo.

Todos estes delírios heterodoxos demonstram que Felipe de Aquino, como seguidor que não quer ver, de um guia cego, no texto acima citado, estava, ele também, considerando a Igreja antes da RCC, como a Igreja arruinada, ou mesmo morta.

E até essa data, como Deus deixara a Igreja?
Padre Jonas Abib, afirma em um de seus livros uma tese inaceitável sobre essa questão:
"Em 1975, no Congresso Internacional da Renovação Carismática Católica, em Roma, surgiu uma palavra de profecia. Essa palavra orientou os rumos da Renovação naquele momento, e agora, mais do que nunca, se mostra atual. “ Veja bem a data: estávamos em 1975. Fazia apenas oito anos que Deus começara a derramar o seu Espírito de maneira nova sobre a Igreja Católica “(Padre Jonas Abib, A Bíblia no meu dia-a-dia, p. 14. O negrito é meu)”.
Como você pode vê, Irmã, segundo o Padre Abib, Deus só começou a derramar o Espírito Santo e seus dons sobre a Igreja -- de maneira nova -- na década de 1960, isto é, após o Vaticano II.
E até essa data, como Deus deixara a Igreja?
Também é falso que a Igreja deva adaptar-se aos homens de hoje, aos tempos, ou à modernidade. Deus instituiu a Igreja para que ela evangelizasse, formasse os homens, e os corrigisse. Não é a Igreja que deve adaptar-se, e sim o contrário: são os homens e os tempos que devem se submeter ao que ensina Cristo através da Igreja Católica, Mãe e Mestra da humanidade.
Cristo não fundou uma Igreja "adaptável". Ele ordenou a Pedro -- e a seus sucessores -- que apascentassem suas ovelhas, e não que as seguissem e se adaptassem a elas. Não existe, nos Evangelhos, a frase: "Adaptai-vos". Antes o contrário, pois a Escritura, por São Paulo, nos recomenda: "Não vos conformeis a este mundo" (Rom. XII, 2).
informações retirada da MONTFORT Associação Cultural

Nenhum comentário: