segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

Mais heresias do Padre Jonas Abib

"O homem é corpo, alma e espírito, três coisas distintas umas das outras. Corpo é corpo (sic!). Alma são as nossas faculdades interiores -- pensamentos, sentimentos e emoções --, e o nosso espírito é algo mais; é a própria vida de Deus em nós (SIC!); é a vida divina nos fazendo participantes da natureza Senhores" (Padre Jonas Abib, Aspirai aos Dons Espirituais, p. 59. O negrito é meu.).
É inacreditável!
Padre Jonas chama de "espírito" do homem, o que a Igreja define como graça santificante. Se o espírito do homem fosse "a vida de Deus em nós” -- como escreve padre Jonas Abib -- nós seríamos naturalmente deuses! Todos os homens têm espírito. Logo, todos seriam naturalmente deuses.
Isso é a negação da distinção entre a ordem natural e a ordem sobrenatural.
Nunca pensei encontrar uma tal ousadia: a de por em letra de forma coisa que indica tanto desconhecimento doutrinário. E isto feito por um sacerdote que estudou Teologia. E digo ignorância, porque não quero supor coisa pior.
Outra coisa inacreditável é que esse livreco tenha sido editado por uma editora católica, em 1995, -- depois da advertência da CNBB -, tenha circulado pelas mãos de muitos, e que nenhuma autoridade o tenha criticado. Isso indica a confusão doutrinária em que os católicos estão abandonados, hoje. Vale dizer qualquer coisa. Vale escrever qualquer doutrina, por mais estapafúrdia que seja.
E Padre Jonas Abib admite essa confusão que ele veladamente denomina de "ausência de pastores”:
"Não é assim que está o povo de Deus? Ovelha sem pastor”.(Padre Jonas Abib, op. cit. P. 131).
Reparando que, de fato, ele está fazendo uma crítica por demais violenta às autoridades da Igreja -- já que João Paulo II estava vivo e era o nosso Papa -- Padre Jonas recua um tanto, dizendo: "Não estou criticando ninguém, mas a verdade é que o povo só tem seguido por caminhos errados; tem sido enganado; com sede, tem bebido em cisternas de águas pútridas; é um povo como a ovelha, sarnenta, cheia de carrapatos" (Padre Jonas Abib, op. cit. P. 131-132).
Se, pelo menos, Padre Jonas tivesse atendido a advertência que a CNBB fizera aos carismáticos um ano antes da publicação desse seu livro, ele teria evitado ajudar a encarrapitar as ovelhas abandonadas.
Pois estou convencido de que os livros de Padre Jonas Abib têm contribuído -- e bastante-- para encarrapitar as ovelhas com as doutrinas estranhas de sua "Canção Nova", que contraria a canção que a Igreja sempre cantou. E que, ademais, é uma canção nova bem desafinada do ensinamento de Pedro.
Volto a analisar a constituição do homem segundo Padre Jonas Abib que citei acima.
Passo por cima da afirmação sensacional de que "corpo é corpo".
Ninguém sabia disso. Foi talvez o dom da sabedoria que inspirou Padre Jonas a afirmar coisa tão extraordinária!
Mas não posso deixar passar a afirmação errônea de que nossa "Alma são as nossas faculdades interiores -- pensamentos, sentimentos e emoções".
Essa, não! É demais! É violar muito grotescamente, não só a Teologia, mas até o bom senso.
Viola a Teologia porque ensinaram São Tomás que a alma humana não são as suas potências (São Tomás, Suma Teológica, I, Q 77, a.1: "Se a essência da alma são as suas potências").
Toda a exposição de idéias de Padre Jonas indica, disse eu, uma grande falta de conhecimento doutrinário. Parece evidente que ele nunca estudou São Tomás. Prova disso é ele dizer que a alma humana, em sua concepção, nem vontade possui. O pobre padre se esqueceu de que o homem tem vontade livre, tanto estava preocupado em salientar as emoções, sentimentos, e... "Sensações gostosas".
Qualquer um que pesquise um pouco de história vai perceber que a Igreja, desde seu início, sempre sofreu ataques de heresias. Porque nosso tempo seria diferente? Arianismo, pelagianismo, jansenismo, modernismo, a RCC, não passam de algumas tentativas do "inimigo" perverter a santidade da obra de Deus.
Pode-se entender que a RCC é hoje um câncer para a Igreja, e o câncer tende a se alastrar nos organismos debilitados.

informações retirada da MONTFORT Associação Cultural

Um comentário:

Anônimo disse...

Só idiota denigre a imagem da sua própria religião