sábado, 24 de fevereiro de 2007

Fotos do Pe. Marcelo .. animando baile de carnaval...





DEPLORAVEL!!!!!! PÉSSIMO SACERDOTE ESSE! PÉSSIMO!!!!! DESGRAÇADAMENTE ESSE HOMEM É SACERDOTE E NÃO HONRA O SACERDÓCIO QUE RECEBEU!... ISSO CLAMA AOS CÉUS POR JUSTIÇA!!!!








18/02/2007 Ritmos sacodem o público

Frevo, axé, samba, heavy metal, dance, forró, salsa levantam fiéis na 1ª Folia de Jesus

Rodrigo Herrero, de São PauloPadre Marcelo Rossi e sua banda mostraram ser possível tocar diversos ritmos musicais numa festa religiosa [??]. Com muita diversão, empolgação e alegria, a 1ª Folia de Jesus, que ocorreu ao lado do Santuário Terço Bizantino, levantou os fiéis que lá compareceram na tarde deste domingo para a celebração costumeira, e que também foram para pular e louvar a Deus no ritmo do carnaval.






Foram executadas 13 canções nos mais diferentes estilos: “O Senhor tem Muitos Filhos” na versão frevo, “Erguei as Mãos” tocada em forró, samba e marchinha, “Iê, Iê, Iê de Jesus” musicada para salsa, funk, rap, reggae, além de “O Senhor é Rei”, feita em heavy metal e dance. Um grande palco foi montado para o evento, que contou com mais de dez músicos na banda, com uma enorme estrutura: duas baterias, dois teclados, duas guitarras, baixo, percussão, vocais de apoio, todos para cantarem os ritmos sugeridos pelo padre.






A folia começou às 18 horas, assim que terminou a missa. Padre Marcelo pôs um gorro preto na cabeça e tirou o paramento da celebração, mostrando sua fantasia: o uniforme da seleção brasileira personalizado, que ele utilizou no jogo do Show da Paz, em abril de 2006. Incorporando um rapper, ele brincava com o público e chamava cada integrante da banda, responsável por um ritmo musical, para apresentar a canção e interagir com o público. Cada chamado provocava gargalhadas em todos, pois os músicos estavam fantasiados, seja com perucas coloridas, chapéus, óculos esquisitos, nariz de palhaço, provocando perplexidade e risos no sacerdote. Havia até um cumprimento que representava a união contra a violência com Jesus, numa posição de paz perante o mundo hoje.






Um dos destaques foi o vocal de apoio Marcelo (apelidado pelos companheiros de Carlinhos Brown, músico baiano), com uma peruca rastafari e vestimenta de rapper, que cantou reggae e rap. “Esse é o careca da banda. Mas ele fez implante na cabeça”, apresentava o padre, apontando para as madeixas dele. Outro momento engraçado foi quando o outro Marcelo, também da banda, foi à frente do palco para avisar que cantaria um funk. Ele colocou uma touca que só dava pra ver seus olhos. Padre Marcelo não perdoou: levou-o até atrás do palco e conversou com alguns policiais que davam a segurança à festa: “Vocês aceitariam um sujeito andando desse jeito?”, questionava, causando risadas nos policiais.Quem também festejou no palco foram o repórter Carlos Maglio e o locutor Ricardo Leite, ambos da Rádio Globo, que acompanham o padre Marcelo no programa Momento de Fé. Eles cantaram, puxaram trenzinho, dançaram o “Vira de Jesus”, interagindo bastante com os fiéis, mesmo que um pouco a contragosto, mas puxados pelo padre.



A chuva ameaçou somente durante a missa, mas, depois da Eucaristia e até o fim do evento, poucos pingos ameaçaram, mas não diminuíram o ânimo do público, que, empolgado pelos ritmos inusitados às canções religiosas, pulou e gritou o tempo todo. Nos intervalos das músicas, padre Marcelo perguntava: “Tem alguém cansado aí?”. E a resposta dos fiéis vinha de bate-pronto: “Nãããããão!”. Acontece que o próprio sacerdote cansou e quase não agüentou os últimos quinze minutos da farra. O evento terminou com um “Pai Nosso” liderado pelo bispo da Diocese de Santo Amaro, Dom Fernando Figueiredo, e, em seguida, padre Marcelo puxou “Invocamos”, numa versão bem pesada e alegre. Ele, inclusive, fez uma avaliação positiva da folia: “As mulheres sempre comparecem nas celebrações e cada vez mais os homens vêm também. E com eventos como esse a criança e o jovem também aparecem mais e isso incentiva a buscarmos alternativas para trazer o jovem para eventos sadios, sem drogas”, afirmou, antes de entrar no carro e acenar para os fiéis que aguardavam um último olhar. Fotos por Juciê Junior e Wilson DiasAcesse a Galeria de Fotos da 1ª Folia de JesusOuça o programa Momento de Fé

Fonte: Portal Padre Marcelo Rossi
Link: www.padremarcelorossi.org.br
Pela foto que vi na FSP, a diferença entre o Pe. Marcelo Rossi ' animando ' a missa e animando o carnaval está na... fantasia!...
Segue abaixo uma notícia publicada no jornal Todo Dia de Americana. Caso interesse à lista."ET VERBUM CARO FACTUM EST, et habitavit in nobis".Wellington - Grupo de Estudos Santo Antônio
http://www2.uol.com.br/tododia/especiais.htm
FOLIA DE JESUS
Fantasiado de goleiro, Padre Marcelo canta músicas em funk, frevo e rap
FolhapressCerca de 35 mil pessoas acompanharam ontem a ``Folia para Jesus'', evento comandado pelo padre Marcelo Rossi em ruas de Santo Amaro, na zona sul de São Paulo. Diferentemente dos outros eventos promovidos no Carnaval pelo religioso nos últimos oito anos, a festa não teve trio elétrico: sobre um palco montado pela prefeitura, padre Marcelo, fantasiado de goleiro de futebol e com gorro em estilo rapper, cantou suas músicas mais famosas em diversos ritmos, incluindo funk, frevo e rap.
O evento começou por volta das 17h, com uma missa ao ar livre. Durante as orações, Rossi colocou a batina sobre a fantasia. O show durou cerca de uma hora. O padre começou cantando rap, o que agitou o público. Entre uma música e outra, a banda que o acompanhava mantinha a base hip-hop, enquanto ele animava a multidão imitando os trejeitos de rapper. A batida foi aprovada pelos fiéis, assim como as canções em ritmo de funk e frevo. ``Gosto de todos os ritmos. Não costumo ouvir rap, mas aqui está divertido o som'', afirmou a dona de casa Rita Sobral, 32.
Apesar de nos últimos dias o padre ter pedido aos fiéis, durante as missas no Santuário do Terço Bizantino, que eles fossem fantasiados, houve poucas pessoas caracterizados entre o público. Uma das que se animou e atendeu ao pedido foi a empresária Rosalina Marra, 35 anos, que usou uma máscara de mulher-gato. ``Acompanho a folia do padre há oito anos'', disse a fiel, que chegou duas horas antes do evento para conseguir um lugar próximo ao palco. ``Eu prefiro o Carnaval do padre desse jeito, com palco e fantasias'', afirmou
email enviado por - Rodrigo R. Salesi 20/02/2007

Um comentário:

Anônimo disse...

Você que põs este comentário sobre o pad.Marcelo não sabe o quanto ele está chamando não só os jovens mas até os homens q/ não gostavam de ir para a igreja por preguiça sei lá!
Você talvez nunca vai ter noção do bem q/ ele faz,jesus não pode ter só a lembrança de morte e sim de alegria,alegria só no créu na igreja não pode?Vai rezar né!!!